btt_net.jpg

 

 

 

 

 

Milhares de pessoas passaram este fim-de-semana pelo Monte de S.Gens para assistir e participar nas provas de Down-hill e Cross-country

Mais de 600 atletas pedalaram este fim-de-semana em S.Gens, Santiago de Bougado em mais uma prova a contar para a taça de Portugal de BTT nas vertentes de Cross-country e Down-hill, numa organização da Associação Recreativa de Paradela.

Cerca de 320 atletas participaram nas duas mangas da prova de Down-hill que decorreram no domingo, tendo a equipa da AR. Paradela conseguido alcançar o sexto lugar por equipas, falhando assim o pódio mas José Costa conseguiu classificar-se em quarto lugar da geral e David Costa em sétimo lugar, na categoria de veteranos B.

btt.jpg

Na categoria de Elites Femininos a atleta Cátia Silva, da AR Paradela sofreu um acidente que a impossibilitou de participar na primeira manga, pois acabou por sofrer um acidente acabando por ter de receber assistência médica. A atleta acabou por participar no domingo de tarde na segunda manga mas a roda de trás da sua bicicleta saiu a meio da prova obrigando-a assim a desistir, atirando-a para o sétimo lugar da geral.

Melhor sorte teve Pedro Gomes, em Juniores que conseguiu alcançar o vigésimo lugar da geral, e na categoria de Elites Vítor Carneiro conseguiu ficar na 41ª posição, Paulo Santos na 68ª posição e Luís Lima em 75ª lugar da mesma categoria.

Para Armindo Silva, presidente da Direcção da AR. Paradela “esta foi uma prova que muito nos orgulha pois, a pista estava boa, somente a parte final tinha um pouco de lama, mas no geral estava boa. Outro dos aspectos que nos agradou foi o facto de o número de participantes ter duplicado pois tivemos 320 atletas, a participar na vertente Down-hill, numa prova da Taça de Portugal significa que está mesmo a evoluir”, assegurou.

No que diz respeito à pista de cross-country fizemos umas correcções, relativamente ao ano transacto, alguns atletas queixaram-se que o circuito era muito rolante e esse aspecto foi por nós corrigido”, frisou o responsável máximo da Associação.

No que diz respeito aos observadores da UCI (União Ciclista Internacional) elogiaram as condições das pistas, como aconteceu já no ano “e talvez por isso este ano voltamos a ser escolhidos para a realização destas provas” frisou Armindo Silva. O presidente da Paradela acrescentou ainda que “o comissário da UCI congratulou-se pela forma organizada como tudo decorre e acrescentou que provas com tanta organização, só no campeonato do mundo”, assegurou

No que diz respeito aos resultados o presidente afirma que “não são o mais importante pois interessa e desenvolver modalidade diferentes, o espírito de equipa e o gosto pelo desporto”, assegurando no entanto que “se os resultados vierem tanto melhor”.