A APVC – Associação para a Protecção do Vale do Coronado, está a preparar uma caminhada, denominada por Rota da Água, para o dia 20 de outubro. Apesar de “grátis”, a inscrição é “obrigatória”. 

As bombas de picota são “manuais” e foram utilizadas “até há cerca de 60 anos”, para “retirar água dos poços para fins domésticos ou de regadio de pequenas parcelas de terreno”. A água era transportada através de “um tubo construído num tronco de pinheiro perfurado e elevada para a superfície por um mecanismo do tipo válvula, acionado através de um eixo por uma alavanca”.

Desde maio de 2013, a APVC tem em marcha o “projeto de Identificação do Património da Água do Vale do Coronado, em S. Mamede e S. Romão do Coronado”, com os objetivos de “identificar”, “recordar usos e costumes de outrora” e “sensibilizar proprietários e entidades públicas”, como a Câmara Municipal e as juntas de freguesia, para a “urgente necessidade de restaurar e recuperar estruturas completamente abandonadas, deterioradas, entregues ao lixo e à indesejada vegetação de silvas e afins”, como “poça, tanque, lavadouro, cata-vento, moinho, picota”, entre outros.

Com o intuito de “apresentar e promover” o projeto, a APVC vai realizar uma caminhada, denominada Rota da Água”, na manhã do dia 20 de outubro, domingo, para “dar a conhecer alguns dos sistemas de contenção e distribuição de água existentes no Vale do Coronado, por entre campos agrícolas, atualmente, parcelas sob a lufa-lufa da ensilagem do milho, das vindimas e já das primeiras sementeiras outono-invernais”.

A Rota da Água, que tem como ponto de partida e chegada o largo da Igreja Matriz de S. Romão do Coronado, tem início pelas 9 horas, estando previsto terminar pelas 12.30 horas. Apesar de “grátis”, a inscrição é “obrigatória”, devendo indicar o “nome, localidade, e-mail e número de telemóvel”, para o e-mail valedocoronado@gmail.com ou através do número 917 040 207. No dia, o secretariado abre pelas 8.30 horas.

A associação aconselha o uso de “calçado apropriado (botas), roupa leve, lanche e, caso chova, impermeável”, podendo levar “máquina fotográfica/vídeo, binóculos, vara de caminhante e ainda boa disposição”.

Para quem utilizar o comboio (Linha do Minho, Porto-Braga), a organização assegura “boleia da Estação da CP de S. Romão até ao ponto de encontro”, devendo, quem assim o desejar, mencionar aquando da prévia inscrição.