Um torneio onde o resultado era o que menos interessava, mas onde o importante era “o cimentar de amizade”. É desta forma que a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) da Trofa classifica a 12.ª edição do Torneio de Futsal Adaptado, que se realizou na tarde de 19 de junho. O Torneio contou com a participação de equipas da ASAS da Trofa, da Cooperativa de Apoio à Integração do Deficiente (CAID) de Santo Tirso, do Centro de Apoio e Reabilitação de Pessoas com Deficiência de Touguinha-Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde e da anfitriã.

Conceição Leitão, diretora pedagógica da APPACDM da Trofa, afirmou que o Torneio é “um momento de convívio muito saudável entre jovens de várias associações, inclusivamente entre jovens com os seus problemas e jovens saudáveis”. “Isto é uma alegria para aqueles que estão nas associações. Para os jovens que não têm problemas destes é o trampolim e um enriquecimento para a formação como cidadãos”, completou, acrescentando que é preciso que estes jovens com deficiência mental precisam de “ser vistos com outro olhar”.

A diretora declarou que a tarde é “vivida com muita alegria”, em que “todos saem satisfeitos, até os que perderam”, uma vez que, neste torneio, o que “interessa realmente é a convivência e o cimentar da amizade entre eles”. “Isto é um convívio que estes jovens precisam muito e que faz parte da socialização e do crescimento deles como pessoas”, terminou. P.P.