ana-moura

A fadista Ana Moura vai apresentar o seu novo álbum “Leva-me aos Fados”, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, num concerto memorável que se realiza no próximo dia 21 de Novembro, pelas 21.30 horas. “Leva-me aos Fados” é o quarto álbum de estúdio da fadista, o sucessor do multi-galardoado “Para Além da Saudade” (2007), que esteve quase dois anos nos tops nacionais de vendas.

Depois do dueto com Mick Jagger em pleno concerto dos Rolling Stones no Estádio de Alvalade, de ter trabalho com Prince e de uma aclamada digressão mundial, Ana Moura alcançou um estatuto de estrela internacional.

O novo álbum conta com uma lista de participações de luxo de onde se destacam José Mário Branco, Gaiteiros de Lisboa, Manuela de Freitas, Amélia Muge e Tózé Brito. Tal como os anteriores, tem a produção de Jorge Fernando. O título “Leva-Me aos Fados” anuncia uma leveza de espírito e uma contextualização do género musical mais português fora dos clichés mais lúgubres.

De resto, Ana Moura avisa que a canção acompanhada pelos Gaiteiros de Lisboa ‘Não É Um Fado Normal’, porque dá voz a um matrimónio feliz entre fado e folclore, com pequenas decorações clássicas de música antiga.

Com o reconhecimento da crítica, chegou também o reconhecimento dos seus pares e, em 2008, Ana Moura recebeu o Prémio Amália de Melhor Intérprete. Pisou mais de 300 palcos diferentes na sua última tournée, visitou dezenas de países em vários continentes e foi foco de todas as atenções quando em 2008 pisou o palco do Estádio de Alvalade para cantar com Mick Jagger ou, mais recentemente, quando os ecos da Imprensa francesa deram conta da viagem propositada de Prince para a ver cantar em Paris.

Por tudo isto que ‘Leva-me aos Fados’ era um dos discos mais aguardados deste ano.

Nascida para o fado

Numa entrevista recente à revista “Tabu”, que é publicada com o jornal “Sol”, Ana Moura afirma que sempre sentiu que a sua vida passaria pela palavra cantada. Andou pelo rock e pelo canto lírico, mas foi no fado que se encontrou.

Ana Moura nasceu há 30 anos em Santarém. Filha de um casal de cantores amadores, o primeiro fado que cantou foi “Cavalo Ruço, quando tinha seis anos e começava a frequentar as tertúlias fadistas ribatejanas.

Em 2003 lançou o primeiro álbum “Guarda-me a Vida na Mão”, seguiram-se “Aconteceu” (2004) e “Para Além da Saudade” (2007), disco que a catapultou para o sucesso.

Até ao final do ano, Ana Moura tem concertos agendados em Portugal, Holanda, Suíça e Dinamarca.