Paulo Couto, Rui Cardoso, Nazar Kerner, Tatiana Pereira e Andrey Bodim. São estes os nomes dos atletas que colocaram a academia Alva Fight em lugar de destaque no panorama desportivo nacional.

No final de abril, em Corroios, conseguiram o título nacional de juniores, na modalidade de boxe. São, por isso, um motivo de orgulho para o grupo que representa a Academia e para o treinador, Igor Silva. Os resultados obtidos “não foram uma surpresa”, referiu o instrutor em declarações ao NT, uma vez que “já nos regionais”, onde se apuraram para o campeonato nacional, os atletas revelaram potencial para conseguirem o título. “Temos trabalhado muito desde há um ano e para o Nacional escolhi estes atletas para irmos para ganhar”, explicou.

“Três” dos jovens “são da Trofa” e os outros dois “de Ribeirão” e destacaram-se de entre “cerca de 30 lutadores” do escalão, no Campeonato Nacional.

Igor Silva sublinhou que “no boxe, o título mais importante é o de júnior”, uma vez que se trata “do futuro” da modalidade. O treinador quis também desmitificar o conceito de desportos de combate, revelando que estes “só trazem benefícios para a condição física, coordenação motora, bem-estar e equilíbrio mental”. “O boxe é praticado por pessoas inteligentes. Os meus atletas são miúdos de escola, inclusive tenho um que estuda informática e que, lá fora, não sabe andar à porrada e é capaz de fugir da confusão, mas dentro do ringue ninguém lhe ganha”, contou.

O objetivo do treinador, “a longo prazo”, é “levar alguém aos Jogos Olímpicos” e o trabalho tem que começar “logo aos 16 ou 17 anos para que aos 20 esteja à altura de estar entre os melhores”.

O Alva Fight, uma das valências do Alva Center, é uma academia de desportos de combate, com boxe, kickboxing, jiu-jitsu e judo, e tem “equipas de manutenção e competição”. Em junho, vai estar representada no campeonato nacional de seniores e “a 2 de agosto” vai promover um “torneio ibérico”, no qual algumas verbas reverterão a favor da AUAUA, Associação Um Animal Um Amigo.