Duas alunas da Escola Secundária da Trofa foram, esta quarta-feira de manhã, atacadas e molestadas por um indivíduo de cerca de 40 anos. A abordagem do homem foi concretizada em duas ruas junto à escola, cerca das 8.30 horas, quando as estudantes se dirigiam para as aulas.

 “Maria”, nome fictício, é uma das vítimas que, em declarações ao NT/TrofaTv, descreveu a situação com que foi confrontada na manhã desta quarta-feira, quando se dirigia para a escola como habitualmente. “Vinha para a escola e um indivíduo, que estava na mesma rua (Professor António Araújo) que eu, mas em sentido contrário, de repente aproximou-se de mim, apalpou-me e molestou-me e depois fugiu num passo mais apressado mas sem correr”, contou. De acordo com “Maria”, o homem, “de estatura normal, nem magro, nem gordo” não proferiu uma única palavra. “Ainda fiquei a olhar para trás mas fui para a escola e contei aos meus amigos e um deles foi comigo ao posto da GNR”. “Pedro”, nome fictício, viu a colega a chegar “a chorar” à escola e ainda tentou ir atrás do indivíduo no seu carro. “Mais ou menos no meio da rua (Rua Vasco da Gama) passámos pelo indivíduo, eu abrandei e ela identificou-me o indivíduo, que ficou a olhar muito para dentro do carro e com ar assustado”, contou o amigo da vítima ao NT/TrofaTv. “Ia parar mas não pude porque tinha carros atrás de mim e ele começou a andar com passo rápido, fui rapidamente à volta para entrar outra vez nesta rua e quando cá cheguei o indivíduo já cá não se encontrava”, acrescentou.

Por volta da mesma hora, numa outra rua que ladeia o liceu, conhecida entre os alunos como a “ruinha”,por só se circular a pé, o indivíduo terá abordado outra rapariga que, visivelmente transtornada, contou de imediato o sucedido a um dos funcionários da escola.

Alunos e funcionários ainda foram atrás do indivíduo, mas o suspeito, depois de seguir por várias ruas, acabou por fugir.

“A rapariga chegou aqui a chorar e nós fomos logo a correr para ver se víamos o indivíduo”, afirmou ao NT/TrofaTv Carlos Garmacho, guarda nocturno da Escola Secundária da Trofa.

De acordo com a descrição da aluna, o indivíduo vestia uma camisola verde e usava óculos de sol escuros. João Bessa foi um dos alunos que encetou a perseguição, juntamente com os funcionários, no sentido de deter o suspeito. Numa das ruas abordou uma senhora que afirmou ter visto o indivíduo “a entrar para um carro escuro” e a arrancar a alta velocidade.

Ambas as queixas foram apresentadas na GNR, que mobilizou uma patrulha para o local para registar a ocorrência e se encontra agora a encetar diligências no sentido de identificar o autor dos actos. Segundo a TrofaTv conseguiu apurar, situações idênticas já terão acontecido na área circundante àquele estabelecimento de ensino. Os alunos e funcionários da escola consideram insuficiente o policiamento naquela zona e alertam para a falta de segurança que ali se faz sentir. “Ele atacou numa hora de ponta para os estudantes e numa zona escondida onde passam muitas raparigas”, afirmou “Pedro”, considerando necessário uma maior vigilância por parte das autoridades policiais naquela zona.

A TrofaTv tentou ainda obter uma reacção junto do presidente do Conselho Executivo da Escola Secundária da Trofa que, no entanto, se recusou a prestar declarações.

Legenda: Abordagem aconteceu de manhã quando as alunas se dirigiam para a escola