Depois de já ter encetado várias iniciativas ligadas ao Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos, a Trofa voltou a alertar para a discriminação com uma exposição móvel que estará no Parque Nossa Senhora das Dores até domingo.

  O Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos (AEIOT) é uma iniciativa da União Europeia, que deu o pontapé de saída a 30 de Janeiro, em Berlim, com a Cimeira da Igualdade, e que passou também pelo concelho da Trofa.

 Desde Março que a autarquia tem desenvolvido actividades para alertar para uma sociedade mais justa e sem discriminação e que passaram por uma Assembleia Municipal Extraordinária, uma reunião extraordinária a qual englobou o Conselho Municipal para a igualdade de oportunidades e o Conselho Municipal do Deficiente, a colocação de uma faixa alusiva ao Ano Europeu no edifício sede da autarquia, programas de rádio, divulgação no Trofabus, bem como a utilização do logotipo do Ano Europeu.

A última iniciativa no âmbito do AEIOT teve lugar, esta terça-feira, com a Exposição Móvel "Igualdade para a Diversidade", promovida pela comissão nacional que promove as comemorações em Portugal, que estará no Parque Nossa Senhora das Dores até domingo.

Esta exposição que está a percorrer o país, passou pela Trofa, onde foi lançada uma campanha de sensibilização que aborda os vários tipos de discriminação, sexo, raça ou etnia, religião ou crença, deficiência, idade e orientação sexual. A inauguração está marcada para as 15 horas, com a presença do delegado regional da Comissão para a Cidadania de Igualdade de Género, Manuel Albano, e a actuação do Rancho Folclórico da APPCDM da Trofa. Os visitantes terão acesso a computadores e a sites específicos do AEIOT.

 

AEIOT – Dizer "não" à discriminação

 

O Ano Europeu para a Igualdade de Oportunidades para Todos 2007 pretende, como objectivo geral, sensibilizar a população para os benefícios de uma sociedade mais justa e solidária, através da promoção da igualdade e da não discriminação.

É preciso que se ofereçam a todas as pessoas, independentemente do sexo, idade, origem racial ou étnica, religião ou crença, deficiência ou orientação sexual, as mesmas oportunidades, para contrariar os resultados de um estudo que apontam muitas desigualdades entre as pessoas.

 

Sabia que…

  • A maior parte dos europeus acredita que a etnia, religião, deficiência ou idade podem ser um obstáculo para encontrar emprego, mesmo quando nos deparamos com iguais qualificações.
  • Na Europa as mulheres ainda recebem em média 15% menos que os homens no desempenho das mesmas funções. Ocupam ainda menos de um quarto dos assentos parlamentares na União Europeia.
  • Os trabalhadores mais velhos têm uma taxa de emprego de 40% em comparação com os 62% da média Europeia. O desemprego entre os jovens é mais do dobro da média global europeia.

• 10% da população da U.E. tem uma deficiência.

  • Mais de metade das/dos jovens lésbicas, gays, bissexuais e transexuais europeias/eus já foram alvos de preconceito ou descriminação nas escolas ou no seio familiar.
  • Os imigrantes e as minorias étnicas que vivem em áreas urbanas menos favorecidas muitas vezes são duplamente confrontados com o risco de serem socialmente excluídos – devido ao local onde vivem ou à sua etnia.