Prestes a completar três anos à frente da ADAPTA (Associação de Defesa do Ambiente e do Património da Trofa), Cândido Novais anunciou que vai deixar o cargo de presidente da associação.

Em junho, Cândido Novais completaria três anos enquanto presidente da ADAPTA. Depois de ter assumido um mandato de dois anos, o ambientalista continuou à frente da associação, uma vez que não apareceu nenhuma lista para substituir a atual direção.

“Comprometi-me para um mandato e assumi-o, porque considerei que era uma obrigação cívica, mas também há sócios que devem assumir as suas responsabilidades. Depois de ponderar, cheguei à conclusão que não estava a prestar um bom serviço à ADAPTA continuando nesta indefinição. É necessário encontrar novas soluções e isso passa por uma direção”, explicou.

Ao longo destes anos, a coletividade tornou-se mais conhecida, através de várias iniciativas descentralizadas, que foi promovendo em todas as freguesias, como as caminhadas. Para além de pôr “as pessoas a mexer”, o objetivo da ADAPTA era também dar a conhecer o património do concelho.

“A associação ganhou reconhecimento e responsabilidade, sobretudo desde março do ano passado, quando passou a ser reconhecida como pessoa coletiva de utilidade pública”, reconheceu Cândido Novais.

Em jeito de balanço, o ambientalista garante que o melhor de tudo foi “a entrega” ao longo de todo este tempo e o “muito” que recebeu. “Fiquei muito grato pelas atividades que fomos levando a cabo, incluindo a resolução de alguns problemas que a população nos colocou. Fizemos marcação cerrada à poluição de algumas linhas de água na Trofa e a situação melhorou”, afiançou. No reverso da medalha, “não há nada que tenha sido complicado”, mas Cândido Novais lembra aos “sócios, amigos e população em geral” que “devem empenhar-se um pouco mais, porque na Trofa as linhas de água ainda servem de esgoto, o ar que se respira é bastante poluído e ainda há muito a fazer”.

Sócio da ADAPTA desde o ano 2000, Cândido Novais promete que vai manter o “compromisso com a qualidade de vida dos trofenses e com a defesa do ambiente e do património”.

Ainda não há listas conhecidas para substituir a direção encabeçada por Cândido Novais e embora os estatutos da ADAPTA definam que o secretário deve tomar o lugar do presidente em caso de impossibilidade deste, ainda nada foi definido e também não foi agendada nova assembleia.

 

{fcomment}