“Já temos pessoas em lista de espera”

Elementos dos Corpos Sociais da ADAPTA e utentes da horta biológica, juntaram-se ao final da tarde de sábado, 3 de agosto, para a inauguração deste espaço.

A horta biológica da ADAPTA – Associação de Defesa do Ambiente e Património da Trofa tem, neste momento, “mais de 25 espécies diferentes de produtos” plantados, que vão desde bens “essenciais” para o dia a dia, como legumes, a ervas aromáticas. Há ainda quem aproveite o seu espaço para a prática da jardinagem de “flores e pequenos arbustos”.

Com “cerca de mil metros quadrados”, a horta biológica, inaugurada este sábado, é constituída por “24 talhões de 32 metros quadrados”, que já estão “todos entregues”, o que é motivo de “grande satisfação” para a direção da associação, como contou o presidente Pedro Daniel Costa. “Inclusive temos já pessoas em lista de espera”, acrescentou.

Cada utente da horta é “responsável” pelo seu talhão e tem “total liberdade para plantar o que bem entender”, contando com “o apoio biológico e o trabalho” da técnica Joana Teixeira, que vai “tentar, através de consociações de espécies, evitar que as pragas possam prejudicar o cultivo”.

Quando este projeto foi idealizado, a direção tinha como objetivos “fomentar a prática de uma agricultura sustentável onde o alimento era adquirido de uma forma natural”, de forma a “não por em causa a contaminação do solo ou de cursos de água”, o que era “prioritário”. “Com isto garantíamos o bem-estar das pessoas e do meio ambiente, retirávamos as pessoas de dentro dos apartamentos para que pudessem combater, na horta, o stress de um dia intenso de trabalho. No cômputo geral seria transmitir para fora da ADAPTA a informação que seria viável produzir os nossos alimentos sem o recurso a químicos”, reforçou.

Com este projeto, a ADAPTA vai abrir portas para “futuras formações teóricas e práticas dedicadas à produção de alimentos de origem cem por cento biológico”, que “oportunamente” vão dar início.