A ACRESCI (Associação Cultural Recreativa e Social de Cidai) foi criada em 2010 com o principal objetivo de ajudar a sociedade de Cidai. Esta instituição que com apenas um ano de vida já realizou inúmeras atividades e já conca com cerca de 250 sócios.

Para comemorar este primeiro aniversário a ACRESCI decidiu promover um jantar. Este evento que contou com cerca de 180 participantes realizou-se no sábado, 29 de outubro, em Santiago de Bougado. Segundo José Carlos, presidente da associação, este foi um evento gratificante. “Participaram mais pessoas do que tínhamos previsto, portanto acho que foi excelente quanto à participação e quanto ao decorrer do jantar foi uma noite interessante que contou com a animação das danças de salão. Posso mesmo afirmar que foi uma noite de gala”, asseverou José Carlos.

O balanço deste primeiro ano de existência da ACRESCI é “positivo”. “Foi um ano de trabalho onde desenvolvemos muitas atividades, principalmente dentro do âmbito social, onde até chegámos a participar na Comissão Social de Freguesia. Também promovemos algumas atividades direcionadas exclusivamente para o grupo infantil de Cidai, por exemplo os miúdos fizeram a montra de espantalhos e a mostra de folclore. Fizemos também o arraial de S. João, participamos no carnaval, e promovemos o dia desportivo da ACRESCI. Todas estas iniciativas correram muito bem, algumas até superaram as expectativas”, adiantou.

A associação localizada em Cidai também promoveu alguns rastreios de saúde bem como palestras sobre “educação alimentar”. “Realizamos rastreios com análises ao sangue a nível da glicémia e do colesterol, e vamos continuar a fazê-los de quatro em quatro meses na nossa sede. Também as duas palestras que fizemos, a primeira foi sobre alimentação saudável e a segunda sobre o colestrol, estamos agora a pensar fazer outra até ao final do ano para falar sobre o cancro”, acrescentou o presidente da instituição.

Atualmente a associação recorre a outros meios que não sejam apoios financeiros para sobreviver. “Nós percebemos que neste momento ajudas financeiras temos de as colocar de parte e temos de encontrar outras formas para alcançar os nosso objetivos. Por isso mesmo a nossa base é a comunidade de Cidai, como somos uma associação que está muito ligada ao social, tentamos juntar as pessoas nunca com o objetivo da parte monetária, daí que não temos tido muitos resultados monetários”, asseverou.

Esta é uma associação recente que necessita da “colaboração de todos”. José Carlos defende que esse apoio “não necessita de ser exclusivamente monetário”.


{fcomment}