A violência de género, os preconceitos e os desencontros de diverso tipo entre as pessoas. Estes “temas sempre atuais” vão ser explorados no livro “A Inocência das Facas”, da editora Tcharan, a quem a Delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) se associou.
Coordenado pela escritora Adélia Carvalho e pela ilustradora Marta Madureira, o livro abre com um texto de José Saramago que David Pintor ilustra. Ao longo das páginas, as palavras de um escritor vão ter sempre uma representação gráfica nas cores e nos traços de um ilustrador. “Encontros que mostram episódios, casos de todos os dias e de muitas vidas; encontros de sensibilidades de escritores e ilustradores, de palavras e imagens que sugerem gestos e comportamentos, vidas interiores, o calor ou o frio dos sentimentos, dos objetos e dos espaços de personagens, de pessoas (e de animais) em que o leitor se (re)vê ou reconhece o mundo que o rodeia”, acrescentou fonte da Delegação da Trofa.
O livro conta ainda com os encontros de Filipa Leal e João Vaz de Carvalho, Raquel Patriarca e Cristina Valadas, Manuela Costa Ribeiro e Anabela Dias, Marta Bernardes e Marta Madureira, Manuel Jorge Marmelo e Evelina Oliveira, Adélia Carvalho e Patrícia Figueiredo, Valter Hugo Mãe e Teresa Lima, Inês Fonseca Santos e Alex Gozblau, Emílio Remelhe e Gémeo Luís, Álvaro Magalhães e Maria Remédio, e Afono Cruz.
A obra já tem três apresentações agendadas: uma no Porto, na livraria Tcharan, às 16 horas de 2 de maio, outra em Vila Nova de Famalicão, na Biblioteca Camilo Castelo Branco, às 18 horas de 30 de maio, e outra em Lisboa, na Fundação Saramago, a 5 de junho. A Delegação da Trofa da CVP referiu ainda que este livro “só foi possível de concretizar com o patrocínio da Altronix, Clínica Parque da Cidade, D´Accord,  JPC Contabilidades, Falual e Panike e com a preciosa colaboração da editora Tcharan”.

2949 bens alimentares recolhidos

2949-bens-alimentares-recolhidos-pela-Cruz-Vermelha-na-Trofa

A Delegação da Trofa da Cruz Vermelha realizou uma recolha de bens alimentares no Continente da Trofa, nos dias 24, 25 e 26 de abril. Esta iniciativa teve o apoio de 26 voluntários que ao longo dos três dias da campanha recolheram “2949 bens alimentares”.
Os bens alimentares angariados vão permitir dar resposta durante “três meses” aos pedidos de emergência alimentar, que diariamente são solicitados à Delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa pelas técnicas de ação social do concelho.
O balanço da iniciativa é “positivo, uma vez que para além da angariação de bens alimentares foi possível estabelecer um contacto próximo com a população”, que permitiu dar a conhecer o trabalho da instituição, garantiu fonte da delegação da Cruz Vermelha da Trofa.