A ADAPTA está a promover uma exposição fotográfica da fauna e flora da Trofa pelas escolas do concelho. A EB 2/3 de S. Romão do Coronado foi a primeira a receber esta exposição de sessenta fotografias, que vai estar patente nos próximos dias. 

“A Fauna e a Flora da Trofa” é o nome da exposição itinerante, que a ADAPTA – Associação para a Defesa do Ambiente e do Património na Região da Trofa está a promover. Cerca de 60 fotografias compõem esta exibição, que tem o objetivo de percorrer as escolas do concelho, de forma a dar a conhecer os seres vivos presentes no concelho. A EB 2/3 de S. Romão do Coronado foi a escolhida para ser a primeira a acolher, durante os próximos dias, esta mostra, sendo que, no próximo ano letivo, a ADAPTA pretende que percorra as restantes escolas da Trofa.

Durante estes dias, os alunos puderam visualizar desde insetos, anfíbios, répteis e algumas aves, questionando as professoras pelos nomes dos animais, que desconheciam que existiam na Trofa. Cláudia Moreira, elemento do programa EcoEscolas, fez um balanço “extremamente positivo”, devido à “muito boa adesão” por parte da comunidade escolar, que está “sempre a passar para vê-la e para descobrir o nome dos animais”.

“Os alunos ficaram maravilhados, porque, primeiro gostam imenso de animais, depois, por saberem que podem encontrar estes animais magníficos no concelho, alguns deles que até desconheciam. Então acharam isto fascinante”, declarou. Foram os elementos do Eco Escolas da escola romanense que propuseram à ADAPTA serem os primeiros a receberem esta exposição, uma vez que “trabalham diretamente com a associação”, em vários projetos. Um deles é o “Charcos com vida”, que consiste na construção de um charco na escola, em que a ADAPTA fornece as plantas necessárias para a sua manutenção. 

Por essa razão, Cláudia Moreira afirmou que esta é uma atividade “muito interessante”, pois os alunos podem ver que tipo de animais poderão “vir a ter no charco”. Celeste Osório, coordenadora do EcoEscolas, é da opinião que a iniciativa “correu bastante bem”, onde foi bem visível “a recetividade” por parte da comunidade educativa. Apesar da exposição ser composta por 60 fotografias, apenas foi possível colocar 30, pois não tinham o espaço necessário para tal. Mesmo assim, é objetivo das coordenadoras organizarem, no próximo ano letivo, exposições temáticas mensais, tentando “percorrer toda a diversidade”. 

Segundo Pedro Daniel Costa, presidente da ADAPTA, esta iniciativa só foi possível graças a Celestino Costa, sócio da ADAPTA, que disponibilizou todo o seu “espólio fotográfico” para a associação. “Temos um sócio que é um amante da natureza e dedica os seus tempos livres a fotografar animais e flores, que sejam do concelho. Ele ofereceu-nos todo o seu espólio fotográfico. E como é uma obra espetacular, achamos que não é para ter guardado, mas sim para estar em todas as escolas do concelho”, explanou. É intenção da ADAPTA contactar as escolas trofenses para que, no próximo ano letivo, possam receber esta exposição, que é uma mais-valia para os alunos, uma vez que as fotografias dos animais complementam as informações que adquirem nas “aulas de ciências”.

 {fcomment}