Há pouco mais de trinta e três anos, o povo português foi capaz de por fim à ditadura que durante quase meio século foi responsável pelas mais repugnantes barbaridades, torturas e desumanidades por que o nosso povo já passou.

Naturalmente que ao escrever sobre democracia na Trofa, não quero fazer nenhuma comparação com o regime  anterior. Contudo, a democracia não se reduz ao simples acto de votar para escolher que irá governar os destinos do país, do concelho ou da freguesia.

A democracia é participação popular na vida de uma sociedade e quem é eleito não pode esquecer esta vertente fundamental.

Este é um dos maiores erros da gestão do PSD/Bernardino Vasconcelos a que o único partido da oposição com representação na Câmara (o PS) não tem dado a devida resposta desiludindo muitos dos que acreditaram que podia passar por ali uma alternativa real.

 

Vamos aos exemplos concretos.

Nesta tentativa de afastar a população da discussão e do acompanhamento de um dos principais assuntos do concelho, elaboração do PDM (Plano Director Municipal), o PSD vai ainda mais longe e impede o funcionamento da comissão de acompanhamento formada na assembleia municipal.

Com esta atitude, a câmara desgasta-se e alimenta especulações que vão surgindo na "praça pública" sobre alegados interesses e sobre alegados jogos de influências.

Se o processo de elaboração do PDM está a decorrer dentro da normalidade, porquê que o presidente da Câmara prometeu que o teria pronto em 2001?

Se o processo está a correr de forma correcta e sem ceder a pressões nem há intenção de favorecer a especulação imobiliária, porquê que não reúne a comissão de acompanhamento que tem representantes de todos os partidos?

 

O outro exemplo que retrata a estratégia seguida por quem está no poder na câmara é a forma como impuseram a localização dos paços do concelho.

Abusando da maioria absoluta, aprovou uma localização para a qual garantia ter estudos sem que nunca os tivesse mostrado!

Do ponto de vista da valorização da democracia e dos cidadãos, torna-se ainda mais grave pelo facto de muitos eleitores terem sido convencidos de que se o PSD ganhasse as eleições autárquicas de 2005, os paços do concelho seriam construídos noutro local!

A esta trapalhada só a CDU disse que não! Já o PSD, o PS e o CDS-PP aprovaram algo que era sustentado por estudos que ainda hoje não viram!

 

Por fim a forma como quem gere a câmara conduziu todo o processo relacionado com o Metro e com a Variante rodoviária.

Nestes casos quem governa a câmara não soube tirar proveito do que esta terra tem de melhor: o seu povo.

Muitos são os exemplos em que a população se uniu e "bateu o pé". Nestas oito freguesias há um espírito reivindicativo, uma grande capacidade empreendedora e um enorme desejo de ver este jovem concelho desenvolver-se. Mas quem dirige a câmara teve medo de voltar a trazer o povo para a rua. Quem dirige a câmara foi-se perdendo em telefonemas e em reuniões com os ajudantes dos secretários dos ministros.

Quando nos quiseram impor os muros a dividir a cidade, o povo saiu à rua a exigir outra solução; quando quiseram destruir terrenos cultiváveis com plataforma logística, o povo impôs-se e minimizou os efeitos…

Agora fomos tratados como um concelho de menor importância pelos governos do PSD/CDS e pelo actual governo do PS. A câmara foi gerindo (mal) estes processos mas teve sempre como principal preocupação afastar a população das discussões. Para tal diziam que estava "tudo bem encaminhado."

Hoje, quando o metro deveria ter chegado à Trofa há mais de três anos e quando a variante deveria estar concluída há mais de dois anos, vemos a câmara espalhar tristes cartazes propagandísticos e tentar colher os louros do que não fez!

É obvio que algum dia a variante seria concluída, é obvio que algum dia o metro chegaria à Trofa!

Mas já não é natural ter a linha electrificada provisoriamente quando se prometeu que isso não iria acontecer. Também não é natural estarmos há tantos anos sem o comboio da via estreita e o Metro ainda ser uma miragem!

 

Jaime Toga

http://jaimetoga.blogspot.com/