Grupo de Jovens de S. Romão do Coronado levaram à cena a peça de teatro “A Árvore da Palavra”, nos dias 14 e 15 de março, nas igrejas matrizes de S. Romão e S. Mamede, respetivamente.

“Desafiados” pelo ator, autor e formador Fernando Soares, o Grupo de Jovens de S. Romão do Coronado mobilizaram-se “de imediato” para a concretização da peça de teatro “A Árvores da Palavra”, criada a partir dos Sermões da Sexagésima (1655), e de Santo António aos Peixes (1642).

Segundo Alexandra Moreira, coordenadora do Grupo de Jovens, com a peça de teatro, baseada na obra de Padre António Vieira, transmitiu-se uma “mensagem riquíssima não só pela crítica”, mas também pela “sua intemporalidade, pelo facto de se manter tão atual nos nossos dias”, o que “obriga à reflexão sobre o ser humano, os valores da vida e sobretudo sobre o facto de que, afinal, o homem não evoluiu ao longo dos tempos, no que diz respeito ao materialismo, oportunismo e à prática de valores morais e espirituais, que devem pautar a nossa vida”.

Quanto ao feedback não poderia ter sido melhor. Além da adesão em massa da população, esta teceu “comentários positivos” e “parabenizou” o grupo pela iniciativa. “É um teatro litúrgico, mais intimista e acolhedor, realiza-se no espaço da Igreja, pelo que as pessoas se mostraram bastante agradadas com a experiência. Por tudo isto, o balanço não poderia ser mais positivo”, evidenciou.

Em nome do Grupo de Jovens, Alexandra Moreira deixou o “mais sincero agradecimento” a Fernando Soares, pelo “convite, paciência, experiência e sabedoria transmitidas, pelo profissionalismo e pela humanização que colocou neste projeto”. “Ao ‘meu’ Grupo de Jovens pela dedicação e empenho, pela partilha e crescimento que este desafio nos proporcionou. Como diz o nosso Padre Rui ‘sozinhos vamos mais rápido, mas juntos vamos mais longe'”, finalizou.