Decorriam os anos de 1954, 1964 e 1989 quando 38 casais uniram as suas vidas através do matrimónio. Passados 60, 50 e 25 anos, esses mesmos casais participaram na celebração das bodas de diamante, ouro e prata.

A celebração decorreu na eucaristia das 11 horas de domingo, 25 de maio, na Igreja Nova, onde os casais (um com bodas de diamante, 11 com bodas de ouro e 26 com bodas de prata) renovaram os seus votos matrimoniais e ofereceram uma rosa branca à Nossa Senhora de Fátima. A festa continuou na Quinta d’ Alegria, em Ribeirão, com um almoço convívio, onde houve uma confraternização entre os casais e familiares.

Segundo João Cerejeira, da Pastoral Familiar da Paróquia de S. Martinho de Bougado, esta é “uma cerimónia que comove a todos por ver que ainda há tantos casais que completam 25, 50 e até 60 anos”, o que significa que “a família continua a ser a célula fundamental da sociedade” e demonstra aos “casais mais jovens que vale a pena continuar”. O elemento da Pastoral Familiar frisou que além de ser “um testemunho à paróquia”, esta cerimónia é “um testemunho para os casais mais jovens e gerações mais novas de que o amor vale a pena”, pois “é algo que permanece ao longo do tempo”.

O almoço contou com “mais de 250 pessoas”, o que para João Cerejeira é sinal “da felicidade e da alegria com que os casais vivem estes dias”.