Foi a nadar que os trofenses ajudaram a Muro de Abrigo. Ao longo de 24 horas, a Aquaplace esteve aberta para todos os que quiseram ajudar a instituição murense que, no final, recebeu dois mil euros.

“Quero agradecer à administração da Trofa Park a iniciativa e o trabalho que tiveram. Isto é solidariedade pura. Obrigado a todos os que colaboraram”. Os olhos de Fátima Silva, presidente da Muro de Abrigo, mais do que as palavras, mostravam o seu agradecimento pelo donativo conseguido durante as 24 Horas Solidárias  na Água. O relógio marcava as 12 horas de sábado, dia 16 de abril, quando a Academia Municipal da Trofa abriu as portas à solidariedade e bastava um euro para ajudar. Os trofenses mergulharam de cabeça nesta causa e no final a associação Muro de Abrigo recebeu dois mil euros, que “vão dar muito jeito”, confessou a responsável. “Ainda não temos qualquer apoio estatal, da Segurança Social ou outro, por isso estamos a viver com os nossos próprios meios”, confessou Fátima Silva. A Muro de Abrigo tem uma equipa de apoio domiciliário que trabalha com 18 utentes e o centro de convívio recebe cerca de três dezenas de idosos. Para além disso, a associação ajuda ainda pessoas carenciadas das freguesias de Alvarelhos, Guidões e Muro. “Viver com estes poucos recursos é heroico”, afirmou a responsável. Aos 1300 euros angariados com a iniciativa, juntam-se donativos de várias empresas e a Câmara Municipal arredonda as contas.

José Magalhães Moreira, vice-presidente da Câmara Municipal da Trofa, atestou que a atividade “superou as expectativas”. “Relativamente ao ano passado, a participação das pessoas, em termos monetários, mais que duplicou, ainda por cima numa altura em que a crise está mais acentuada”, referiu o autarca. Com “uma maior atenção aos problemas sociais, os trofenses mostraram-se solidários e não hesitaram na hora de se atirarem à água. Para os que preferiram manter-se secos, diversos grupos trofenses atuaram no exterior da Academia.

Esta foi também uma oportunidade para a Academia Municipal da Trofa divulgar todas as modalidades que tem disponíveis. “É fundamental que, existindo um empreendimento deste tipo, este seja verdadeiramente rentabilizado, sob pena de se tornar num elefante branco”, alertou José Magalhães Moreira.

No final das 24 Horas Solidárias da Trofa, todos os participantes na prova de natação receberam uma medalha de participação e os mais rápidos de cada escalão subiram ao pódio para receber as suas medalhas.