Santo Tirso vai receber a chegada da 5.ª etapa da 76.ª Volta a Portugal em Bicicleta, que começou, esta quarta-feira, com um prólogo de 6,8 quilómetros em Fafe.

Na próxima segunda-feira, o Monte de Nossa Senhora de Assunção recebe, assim a chegada da 5.ª etapa da prova rainha do ciclismo português, que promete atrair milhares de pessoas pelo circuito.

Já na quinta-feira, os ciclistas passaram pelo concelho de Santo Tirso em direção à Maia, onde terminou a 1.ª etapa. A Volta a Portugal passou por Vila das Aves, S. Tomé de Negrelos, Rebordões, Burgães, Carreira e Lamelas.

Formalizado o acordo entre o Município de Santo Tirso e a empresa PODIUM, organizadora da Volta, o presidente da Câmara, Joaquim Couto, mostrou-se “satisfeito” por “um desporto tão acarinhado pela população portuguesa, em geral, e de Santo Tirso, em particular, voltar a passar pelo concelho”. A autarquia vai investir “cerca de 60 mil euros” para acolher a 5.ª etapa da Volta a Portugal, mas Joaquim Couto não tem dúvidas de que “o retorno, para a economia local, é incomensuravelmente maior do que o investimento” feito este ano na chegada da caravana à Nossa Senhora da Assunção.

O presidente da Câmara defendeu que, quando decidiu fazer regressar ao concelho a prova velocipédica nacional, “estava a interpretar o sentimento generalizado da população de Santo Tirso”, um Município com tradições no ciclismo, de onde é, aliás, natural um dos vencedores da Volta a Portugal, em 1962: José Pacheco. “Santo Tirso não podia deixar de participar na Volta a Portugal. É um meio por excelência para dar visibilidade e projeção ao concelho, por chegar a todo o país mas, acima de tudo, por ter repercussões internacionais, nomeadamente nas comunidades portuguesas espalhadas por todo o Mundo”, referiu, certo de que “é uma aposta ganha” trazer a prova no dia 4 de agosto.

Já o diretor da prova, Joaquim Gomes, agradeceu ao Município de Santo Tirso o facto de a Volta a Portugal “ter conseguido recuperar uma das mais interessantes etapas”, com a emblemática chegada à Nossa Senhora da Assunção. O antigo vencedor da Volta a Portugal sublinhou também que a passagem do pelotão pelo concelho coincide com “um ciclo de quatro dias muito difíceis para os ciclistas”, depois de etapas com chegada de coeficiente elevado em Braga, Montalegre, Senhora da Graça e Santo Tirso. “Os índices de cansaço estarão, por esta altura, muito altos, pelo que os ciclistas vão queimar, com toda a certeza, os últimos cartuchos na etapa que termina em Santo Tirso”, concluiu o responsável da prova.