Arrancou a segunda edição da Liga de Empresas da Academia de Futebol da Louseira. Para a temporada de nove meses que começa, a competição conta com a participação de 14 equipas, uma evolução relativamente à edição de estreia. Além do campeonato, haverá também a Taça da Liga, outra novidade para esta época.

Para Luís Cardoso, responsável pela Academia, o aumento do número de participantes “é sinal que o projeto foi recebido com agrado na Trofa e nos concelhos vizinhos” e vai ao encontro do objetivo da organização de garantir que, a cada edição, haja “um upgrade” que carimbe o selo de qualidade da competição.
Para esse desígnio em muito contribuiu a celebração de uma “parceria estratégica” com a D’Accord e Carfast, patrocinadores, que “possibilitaram aumentar a oferta de prémios e brindes às empresas e diversificar as atividades desenvolvidas”, explicou Luís Cardoso.
“Alargamos o número de colaboradores e de árbitros, alguns dos quais são de Santo Tirso e Famalicão. Nesses concelhos também se começa a falar da Liga de Empresas, o que nos enche de orgulho. De alguma forma, pretendemos que, no médio prazo, a Liga aumente e possa estender-se para outras zonas de fora do concelho da Trofa”, anunciou.
Os objetivos da Liga passam por “permitir às pessoas que trabalham nas empresas, que são clientes ou familiares passem um momento de convívio, através da competição”. “Aqui não se trata só do jogo, há o antes e o depois. Temos grupos que vêm para cá com uma ou duas horas de antecedência para ver jogos que estão a decorrer e a socializar e outros que, depois de jogarem, vão jantar juntos”, acrescentou.
No passado fim de semana, cumpriu-se a primeira jornada, que contou com seis vitórias e um empate e 52 golos.
A Skyphone é uma das estreantes da competição e começou com o pé esquerdo, ao perder com a F.Corse por 3-1. Carlos Costa, responsável da empresa, explicou que uma das razões que o fez aderir à Liga foi “promover a Skyphone, aliando-a ao desporto”. Quanto à organização, assinalou, “está excelente” e “só foi pena começar com uma derrota”. Em termos competitivos, o objetivo “é não ficar em último”.
Já Hermano Silva, da F. Corse, afirmou que a meta da equipa “é repetir” o feito da edição passada, ou seja, “estar no pódio”. “Em termos gerais, queremos fazer um bom torneio e esperamos que ninguém se magoe”, sublinhou.
Também a experimentar a competição pela primeira vez, a equipa da JPC Contabilidades não conseguiu vencer na primeira ronda, permitindo o ascendente da repetente Sanimaia, que triunfou por 4-2. Diogo Fernan-des, da JPC, considera a iniciativa “interessante” e a organização “bem constituída”. “As condições são boas, já estou habituado a jogar aqui”, frisou.
Por sua vez, Adriano Sousa, a representar a Sanimaia, referiu que as expectativas da equipa passam pelo grupo “divertir-se ao máximo, praticar desporto e conviver num ambiente diferente”. O campo da Louseira também foi elogiado: “Gostamos muito do espaço. É amplo, não temos nenhuma referência visual à volta e sentimo-nos bem”.
Nos restantes jogos, a Muro-placo bateu a Confeitaria Torres por 7-1, enquanto as Torneiras OFA triunfaram diante da Litel, por 5-3. O Aquaplace sofreu a derrota mais pesada da jornada: 11-2, frente à J. Miranda, enquanto a ACRABE/6 Dias venceu a Falual por quatro bolas a três. O empate da ronda aconteceu no jogo entre a Trofilétrica e a Dacar Automóveis (3-3).