Em 1985, os Xutos e Pontapés, consagraram-se como banda numero um de Rock ´ Roll Portuguesa, através do álbum “Cerco”. 27 Anos depois reeditam o estrondoso sucesso num cd “ O Cerco Continua”.

O arranque para a reconquista da nova temporada, não podia ser mais apropriado do que no Dragão Caixa. A jeito clubístico, lá marcaram um golo certeiro, esgotando quase na totalidade o pavilhão nortenho.

A banda que teve o privilégio de tocar na primeira parte do concerto foi os O Bisonte, um grupo Rock portuense de 2010. Cantando em português, e segundo o vocalista Davide Lobão, “ uma banda de rock puro e duro”, não muito aconselhada para crianças de tenra idade ou para ouvintes mais sensíveis devido aos decibéis e calão constante. Algum público rendeu-se à irreverência de temas como “Esqueleto”, “Laia” e “Bandidagem”, este ultimo, um apelo á revolução de um povo oprimido pelos bandidos que estão no poleiro.

No final da actuação dos Bisontes, os fãs dos Xutos agruparam-se freneticamente por um lugar na primeira fila para ver os ídolos de tantos anos. Famílias de três gerações compareceram em massa. Crianças e pré-adolescentes, assumindo uma mini cópia dos pais e avós, lá trauteavam os êxitos de “Maria”, “A Minha Casinha”, “Homem do Leme” entre outros.

… lá fora faz frio, mas aqui estou eu pairando no vazio.., sem ficarem imóveis os fãs cantaram em uníssono o tema “ Perfeito Vazio” acompanhado por fogo de artificio que sem  duvida embelezou um grande momento do concerto.

De realçar um dos pontos altos da noite a entrada triunfal para mais um encore, desta vez com o baterista Kalu trajando uma camisola do campeão nacional em titulo FC Porto, muitíssimo bem acompanhado por Zé Pedro na guitarra em “Tonto”.

O regresso do Cerco marca uma nova tornê nacional dos emblemáticos Xutos e Pontapés, o Porto foi a rampa de lançamento para novos voos num palco bem perto de si…

Texto: Adelaide Oliveira

Fotos: Miguel Pereira

Fotogaleria (clica nas imagens para aumentar)