A escola Trofintas descentralizou a sua actividade e abriu um pólo na EB 1 de Feira Nova, em S. Mamede do Coronado.

Um dos objectivos destes pólos é “descentralizar a actividade do clube” no concelho, conforme explicou Ricardo Carneiro, um dos professores da Trofintas. Ao expandir a área de intervenção, o Trofense “combate a distância temporal e espacial” das crianças que até “têm interesse em fazer parte do clube”, mas não conseguem por “impossibilidade de os pais levarem-nos para o complexo em Paradela”, explicou também Augusto Ferreira, director da escola Trofintas.

 

Reportagem alargada na próxima edição do NT, quinta-feira nas bancas.