O Trofense foi vencer ao reduto do Vitória de Guimarães (0-1), na 19ª jornada da liga de futebol, saindo da zona de despromoção e agudizando a crise do clube minhoto, eliminado esta semana da Taça de Portugal.

Com esta vitória, a segunda fora de portas depois da conseguida no Restelo, ante o Belenenses, o Trofense salta para a 12ª posição, provisoriamente, fugindo dos lugares que ditam a descida de divisão.

Já o Vitória de Guimarães foi alcançado pelo Estrela da Amadora na oitava posição e confirma um registo caseiro muito pobre para quem tem ambições europeias: duas vitórias, cinco empates e três derrotas, pior ataque da liga com apenas cinco golos marcados.

A pressão sobre o Vitória sentiu-se desde as bancadas, a partir das quais, desde cedo, saíram mais assobios do que incentivos à equipa de Manuel Cajuda

A formação orientada por Tulipa foi a melhor em campo, mais esclarecida e a jogar um futebol apoiado, muito por causa da acção de Hugo Leal, perante um conjunto sem fio condutor, jogando sempre aos repelões e sobre “brasas”, talvez devido ao descontentamento dos sócios manifestado durante a semana.

Na primeira parte foram poucos os momentos de perigo para as duas balizas. A excepção surgiu aos 36 minutos, quando Hugo Leal, com um grande passe a rasgar a defesa vimaranense, isolou o avançado brasileiro Charles Chad, que contornou Nilson e rematou para a baliza, valendo Moreno a impedir em esforço que a bola entrasse.

O Vitória respondeu aos 42 minutos com um centro traiçoeiro de João Alves, que Marco Pereira defendeu com dificuldade para canto, e com um livre perigoso de Moreno (45) com a bola a passar por vários jogadores mas nenhum empurrou para dentro da baliza.

No segundo tempo, a toada manteve-se, apesar de a equipa da casa ter entrado com outra velocidade, imprimida essencialmente por Nuno Assis.

Aos 52, Gregory falhou rotundamente o cabeceamento após canto de Nuno Assis, mas o Trofense jogava agora deliberadamente em contra-ataque e aos 59, Charles Chad rematou por alto depois de boa iniciativa.

Aos 60 e 67, Marco Pereira travou sem dificuldades iniciativas de Santana e Roberto, e as investidas do Trofense, sempre por Charles Chad, causavam mais perigo do que o ataque atabalhoado do Vitória. Aos 74, lançado em profundidade, o brasileiro quase marcou.

Foi o prenúncio do que aconteceu dois minutos depois: isolado com alguma felicidade por um desvio involuntário de Nuno Assis, o avançado brasileiro bateu em velocidade Gregory e à saída de Nilson rematou por entre as pernas do guardião, marcando o único golo do jogo.

O Vitória respondeu aos 81: Após assisitência de calcanhar de de Nuno Assis, o angolano Santana rematou mas Marco Pereira evitou o empate com uma grande defesa.

O jogo terminou com o Vitória a tentar tudo por tudo, mas Marco Pereira, que se estreou na liga, demonstrou sempre muita segurança e garantiu a importante vitória para a equipa da Trofa.

 {flvremote height=”300″}http://trofa.otos.tv/videos/vitoria-trofense.flv{/flvremote}

Ficha do jogo

Jogo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Vitória de Guimarães – Trofense, 0-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcador:

0-1, por Charles Chad, 76 minutos.

 

Equipas:

– Vitória de Guimarães: Nilson, Andrezinho, Gregory, Moreno, Luciano Amaral (Marquinho, 80), Custódio (Fajardo, 73), João Alves, Desmarets, Luís Filipe (Roberto, 54), Nuno Assis, Santana.

(Suplentes: Nuno Santos, Danilo, Flávio Meireles, Milhazes, Fajardo, Marquinho, Roberto).

– Trofense: Marco Pereira, Paulinho, Miguel Ângelo, Valdomiro, Tiago Pinto, Milton do Ó, Hugo Leal (Pinheiro, 71), Mércio, Rui Borges (Delfim, 66), Charles Chad, Reguila (Hélder Barbosa, 61).

(Suplentes: Paulo Lopes, Areias, Delfim, Hélder Barbosa, Varela, Pinheiro, Dagil).

 

Árbitro: Luís Reforço (Setúbal).

Acção disciplinar: cartão amarelo para Charles Chad (39), Mércio (68), Tiago Pinto (90+1).

Assistência: 14.185 espectadores.