rio-ave-trofense

O Rio Ave acabou hoje com uma série de cinco jogos sem ganhar e abandonou o último lugar da Liga portuguesa de futebol, ao vencer o Trofense, agora “lanterna vermelha”, por 2-1, em encontro da 25ª jornada.

A equipa vilacondense, que apenas havia somado um ponto nas derradeiras cinco rondas, chegou ao intervalo a vencer por 2-0 e segurou o triunfo na segunda metade, subindo ao 15º lugar, com 20 pontos, mais um do que o seu adversário.

O treinador Carlos Brito disse que este jogo era “crucial” para o objectivo final do Rio Ave, que é a manutenção, e os jogadores estiveram à altura das suas responsabilidades, em especial na primeira parte.

Fábio Coentrão, emprestado pelo Benfica, foi o homem do jogo, mas até começou mal e foi inclusive assobiado por alguns adeptos, que não lhe perdoaram algumas perdas de bola e uma certa displicência nos primeiros 25 minutos.

Depois disso, Fábio Coentrão construiu o primeiro golo (29 minutos), marcou ele próprio o segundo (35) e acabou por ser ovacionado quando saiu aos 84 minutos, substituído pelo nigeriano Chidi.

O Rio Ave começou melhor, rematou mais e mostrou ambição, empurrando o adversário para junto da sua baliza, graças um futebol simples e directo.

O primeiro tento nasceu de um grande cruzamento de Fábio Coentrão, a que Yazalde correspondeu da melhor forma, cabeceando para a baliza, sem hipótese para o guarda-redes Marco.

Seis minutos depois, Niquinha, recém-entrado para o lugar do lesionado Delson, fez um lançamento longo, a defesa trofense apostou no fora-de-jogo e Fábio Coentrão isolou-se, passou por Marco e atirou para baliza deserta.

Foi com dois golos de vantagem para os anfitriões que se chegou ao intervalo, um resultado aceitável tendo em conta que o Rio Ave atacou mais e melhor e beneficiou também das melhores oportunidades para marcar, ao passo que o Trofense raramente saiu do seu meio-campo e não incomodou a Paiva.

No segundo tempo, o conjunto visitante, com Hugo Leal ao leme, esboçou uma reacção, mas o Rio Ave manteve-se coeso e bem organizado no meio-campo.

Contudo, o Trofense reduziu, aos 71 minutos, quando Hugo Leal convocou Tiago Pinto com um bom lançamento para as costas da defesa do Rio Ave e o lateral esquerdo isolou-se e rematou para o fundo da baliza de Paiva.

Tiago Pinto acabou por se lesionar nesse lance, por ter chocado com Paiva, e teve que ser substituído.

O Trofense ganhou um novo ânimo e por momentos tomou conta do jogo, mas o Rio Ave não se desuniu e Niquinha – fica de fora na próxima jornada por ter visto o quinto cartão amarelo – proporcionou a Fábio Coentrão a hipótese de “bisar”, mas o avançado, com Marco fora da baliza, falhou.

À medida que o jogo foi caminhando para o fim, o Trofense pressionou mais, mas nem sempre com a lucidez necessária, e o Rio Ave tratou de segurar a sua magra mas justa vantagem e os respectivos três pontos, que podem ser cruciais na luta pela permanência.