Na Trofa, a chuva não assustou a excelente moldura humana que compôs o estádio para assistir a um dos jogos da temporada. Apesar de não ter havido golos, o jogo foi de primeira, com grande entrega dos atletas das duas formações. 

    O nulo entre Trofense e Rio Ave na vigésima sétima jornada da Liga Vitalis parece ter agradado a ambas formações, que mantêm a igualdade pontual na liderança, a quatro pontos do terceiro lugar, ocupado por Gil Vicente. A equipa de Barcelos foi a única perseguidora que não vacilou, já que Olhanense e Vizela perderam e ficaram mais longe dos lugares de subida.

Na Trofa, a chuva não assustou a excelente moldura humana que compôs o estádio para assistir a um dos jogos da temporada. Apesar de não ter havido golos, o jogo foi de primeira, com grande entrega dos atletas das duas formações.

A jogar em casa, o Trofense optou por um sistema táctico cauteloso, com Toni a colocar Gora Tall no onze inicial para suprir a desvantagem da equipa, relativamente à altura dos jogadores de Vila do Conde.

Ambas equipas manifestaram sentimento de respeito pelo adversário, mas o Rio Ave acabou por conseguir ser melhor na abordagem à partida nos primeiros minutos, chegando por algumas ocasiões com perigo à baliza de Paulo Lopes. Por seu lado, o Trofense acusou falta de organização numa defesa preenchida, com Milton do Ó, Valdomiro, Gora Tall e Edu. A ausência de laterais de raiz parece ter sido um problema para a equipa vermelha e azul, que teve que se aplicar para não chegar ao intervalo em desvantagem.

Aos quatro minutos Miguel Lopes protagonizou o primeiro lance ofensivo concluído, com um cabeceamento que saiu por cima do travessão. A resposta do Trofense surgiu dos pés de Ricardo Nascimento com um remate fraco.

Aos 32 minutos, Chidi silenciou os adeptos trofenses, com um remate em jeito que obrigou Paulo Lopes a grande intervenção.

Depois de algum nervosismo evidenciado na primeira parte, a formação caseira acabou por surgir mais afoita no ataque, na etapa complementar, e equilibrou a partida. Foi, aliás, na segunda parte que as duas equipas tiveram as melhores oportunidades para marcar. O Rio Ave foi o primeiro com Chidi a desperdiçar excelente posição e permitir corte de Valdomiro. Na recarga Paulo Lopes conseguiu defender para canto. Já Ricardo Nascimento quase levantou o estádio, com um remate a meio campo que o guardião Paiva adiantado defendeu com dificuldade.

O domínio e posse de bola no final da partida pertenceu ao Trofense, mas a formação encontrou sempre um Rio Ave atento na defesa. 

"Um grande jogo entre duas grandes equipas"

João Eusébio foi peremptório em afirmar que "o empate ajusta-se", mas se houvesse um vencedor, esse "seria o Rio Ave". O técnico vila-condense afirmou que se assistiu a um "grande jogo entre duas grandes equipas", mas não deixou de sublinhar "o excelente trabalho" dos seus jogadores: "estão de parabéns. Sabíamos que o Trofense é forte na defesa e nas bolas paradas e conseguimos neutralizar essas potencialidades do adversário. Sentimos da parte do Trofense um sentimento de respeito, mesmo pela disposição táctica da equipa". 

"Faltou o golo para motivar os jogadores"

Apesar do resultado "não ser o pretendido", Toni acabou por aceitar o empate, visto que ambas as equipas protagonizaram "um bom jogo, em que estiveram muito rigorosas tacticamente".

"Houve um ascendente do Rio Ave na primeira parte, mas na segunda o Trofense conseguiu equilibrar e teve até alguns momentos em que dominou a partida", referiu.

Depois de mais um ponto somado o Trofense "vai continuar a trabalhar com a mesma perspectiva de conseguir ganhar os próximos jogos para acabarmos o campeonato com sentimento de grande felicidade", concluiu. 

Jogo: Estádio Clube Desportivo Trofense

Trofense: Paulo Lopes, Valdomiro, Edu, Gora Tall, Milton do Ó, Zamorano, André Barreto, Ricardo Nascimento, Rui Borges, Moukouri e Reguila

Treinador: António Conceição

Rio Ave: Paiva, Gaspar, Rogério Matias, Evandro, Niquinha, Delson, Miguel Lopes, Bruno Mendes, Keita, Chidi e Livramento

Treinador: João Eusébio

Árbitro: Paulo Costa, auxiliado por João Santos, Nuno Manso e Vasco Santos

Cartões Amarelos: Keita (27'), Gaspar (42') e Miguel Lopes (53')

Resultado ao intervalo: 0-0

Resultado final: 0-0