sporting-trofenseNum cenário focado na nona jornada, o Trofense cumpriria os requisitos de fazer alinhar nas suas equipas iniciais um mínimo de seis jogadores nacionais e um máximo de cinco estrangeiros.

A equipa da Trofa é uma das apenas cinco equipas, num total de 16 da Liga portuguesa, num total de 16, que cumpriria a regra dos “6+5” e perante um cenário de aplicação da norma aprovada este ano pela FIFA.

Na lista figuram ainda o Sporting, o líder Leixões, o Rio Ave, e o Estrela da Amadora.Este cenário volta à ordem do dia depois de hoje ter sido apresentada uma declaração conjunta dos ministros a solicitarem à Comissão Europeia que estude “a compatibilidade com o direito da União de uma proporção mínima de jogadores nacionais”.

A declaração vai, de certa forma, de encontro à norma aprovada pela FIFA em Maio, da regra dos “6+5”, na qual se defende um mínimo de seis jogadores nacionais por equipa, e que é contrária à regulamentação da UE quanto à livre circulação de trabalhadores.

Tendo como base a nona jornada da Liga apenas essas cinco equipas cumpririam tal exigência, num cenário em que Nacional – com dois jogadores nacionais e nove estrangeiros à nona jornada – seria o clube em “piores” condições.

Mas na cauda de “infractores” – 11 em 16 equipas do principal campeonato – quanto ao número de estrangeiros, estariam também Benfica (3+8), FC Porto (3+8), Marítimo (3+8) e Naval 1º de Maio (3+8).

com Lusa