Foi a 19 de Novembro de 1998 que foi aprovada a criação do concelho da Trofa pelos deputados na Assembleia da Republica para delírio dos milhares de trofenses que de autocarro, de carro e mesmo de comboio se deslocaram a Lisboa.

Na Trofa quase todas as lojas de comércio e indústrias estavam fechadas e nas portas podia ler-se: Estamos fechados – Fomos buscar o concelho.

Começava assim a escrever-se mais um episódio da história da Trofa, desta feita do novo concelho da Trofa.

Agora, sete anos depois o bairrismo e a mobilização em torno das festividades quase desapareceram apesar de um programa cultural vasto e de qualidade. Há quem fale em desencanto mas o sentimento de independência permanece.

As comemorações deste aniversário tiveram início a 9 e 10 de Novembro com a iniciativa “Encontro com ”, na Casa da Cultura da Trofa. Um momento dedicado aos mais novos que têm assim, oportunidade de contactar com os autarcas da localidade e de perceber o funcionamento de uma Câmara Municipal.

A 11 de Novembro, o destaque foi para a inauguração da exposição de pintura de Humberto Santos, na Casa da Cultura da Trofa. Esta mostra estará patente até 30 de Novembro. Como todos os artistas, Humberto Santos busca o inatingível atractivo do belo, simbolizado no seu trabalho pela simplicidade das formas, que a tela torna eternas. Com este trabalho, o artista consegue atingir uma frontalidade e uma clareza de processos que emociona sempre com a sua intensidade, com a sua energia, com a sua marca registrada, sem rodeios, impossibilitando a indiferença e o conformismo. Depois de inúmeras exposições, a sua obra já começa a ser conhecida e reconhecida, tendo obras espalhadas por várias colecções públicas e particulares. Um dia depois a chamada de atenção foi para o concerto da Banda de Música da Trofa, uma das Bandas filármonicas mais consagradas a nível nacional. A magia do Principezinho, a obra maior de Antoine de Saint-Exupéry chegou à Trofa, ao Salão Paroquial de Alvarelhos, dia 13 de Novembro. Uma obra apresentada pelo Teatro Oficina – Guimarães para crianças e gente grande

Terça-feira, 15 de Novembro, apresentou-se o Orfeão Santhyago e o humor da “stand up comedy” do trofense Miguel Sete Estacas arrancou gargalhadas na quarta-feira, 16 de Novembro, no Salão Paroquial do Muro.

A 17 de Novembro a câmara municipal da Trofa propôs uma viagem ao passado para conhecer ou relembrar as velhas tradições ligadas às actividades agrícolas da região com a actuação do Rancho das Lavradeiras da Trofa.

A 18 de Novembro, à semelhança do que aconteceu noutros anos, a Casa da Cultura da Trofa recebeu a cerimónia de Entrega dos Prémios dos Jogos Florais da Rádio e Jornal da Trofa. Entretanto, o programa para o dia 18 propôs ainda a actuação do Coro de S. José de Moreira de Cónegos com Direcção de Valdemar Sequeira e Gil Lopes (Maestro da Banda de Música da Trofa).

A 19 de Novembro decorreu o concerto dos meninos Cantores do Município da Trofa e a Tradicional Vitela Assada na Feira/Mercado da Trofa.

Apesar de defender uma politica de descentralização, este ano a autarquia não realizou qualquer tipo de actividade, durante as festas do município, nas freguesias de S.Romão, S.Mamede do Coronado e Guidões tendo concentrado as actividades nas restantes freguesias.