Durante o mês de novembro, a Câmara Municipal da Trofa, através da Divisão de Ação Social, vai realizar uma ação de sensibilização para abordar a temática do tráfico de seres humanos. “Desde 2008 até agora foram sinalizados mais de 500 e confirmados 110” casos de tráfico de pessoas em Portugal. Quem o disse foi Joana Wrabetz, chefe de equipa do Observatório do Tráfico de Seres Humanos, em entrevista ao Correio da Manhã, confirmando também que o tráfico de portugueses no estrangeiro “tem vindo a aumentar”. “Só entre Janeiro e Março deste ano foram sinalizados mais de 30 portugueses vítimas de tráfico para exploração laboral. Deve estar  relacionado não apenas  com a presente crise, mas também com as novas migrações”, afirmou. 

O fenómeno, que tem evoluído devido à crise, tem estado no centro das atenções de várias instituições nacionais e a Câmara Municipal da Trofa também se associou, ao organizar uma ação de sensibilização nos dias 6 e 14 de novembro. “Promover os direitos sexuais e reprodutivos” é o objetivo da Câmara Municipal da Trofa ao organizar esta  iniciativa, através  da Divisão da Ação Social da autarquia. 

A ação de sensibilização tem uma duração total de 12 horas, das 10 às 13 horas e das 14 às 17 horas, na Loja Social, Rua Conde S. Bento, Centro Comercial da Vinha, r/c, loja 52 e está destinada a diferentes parceiros sociais com intervenção direta ou indireta sobre o fenómeno (rede social, CPCJ, Organizações não Governamentais, Instituições Particulares de Solidariedade Social), indo ao encontro das recomendações do 2º Plano  Nacional Contra o Tráfico de Seres Humanos. A participação nesta ação de sensibilização é gratuita, mas de inscrição obrigatória, estando sujeita a um número máximo de participantes. Todos os interessados em participar  devem fazer a sua inscrição até ao dia 2 de novembro, através do e-mail accaosocial@mun-trofa.pt ou do número de telefone 252 403 690. 

Uma iniciativa dinamizada em articulação com a Delegação Norte da APF –  Associação para o Planeamento da Família, IPSS, que esteve ativamente envolvida em diferentes projetos ligados à problemática do Tráfico de Seres Humanos, no âmbito do Projeto TSH – Agir em Rede, uma candidatura  aprovada no âmbito do Eixo 7 – Igualdade de Género – do POPH/QREN. 

Segundo Joana Wrabetz, “o número de vítimas para exploração laboral tem vindo a aumentar em detrimento das vítimas para exploração sexual”,  acrescentando que a Alemanha é um dos países onde se tem registado mais casos. “As pessoas que se preparam para viajar devem obter o máximo de informação sobre para onde vão. Não o façam sem ter o mínimo de  garantias. Há riscos sérios”, aconselhou.

{fcomment}