Os moradores do edifício D. Pedro V, na Trofa não ganharam para o susto. Esta quarta-feira, cerca das 17 horas Margarida Pinto, moradora do quinto andar daquele edifício, na Rua D. Pedro V, começou a sentir um cheiro intenso a borracha queimada e viu uma nuvem de fumo preto sair do exaustor da sua cozinha.

  Nas casas de banho e nas despensas, locais onde existe sistema de exaustor o cenário repetia-se. A moradora alertou Bombeiros e GNR que se deslocaram ao local para tentar descobrir se se tratava ou não de um incêndio. O problema era comum a vários apartamentos em diversos andares do prédio mas nem os moradores, nem os Bombeiros Voluntários da Trofa nem a própria GNR conseguiram descobrir a origem do cheiro e do fumo.

Recorde-se que já em 2007 Bombeiros e GNR foram chamados ao mesmo edifício para acorrer a uma situação semelhante mas, tal como agora, nunca se descobriu a origem do intenso cheiro.

De acordo com os moradores, ouvidos pelo NT, "cabe agora à administração do condomínio encetar esforços para tentar descobrir de onde vêm fumo e cheiro", frisou Luís Gouveia acrescentando que "a acção dos Bombeiros e da GNR foi inconclusiva não se sabendo assim a origem deste insólito episódio".

A GNR fez deslocar para o local um carro com dois militares enquanto os Bombeiros Voluntários da Trofa responderam ao alerta com uma viatura e vários homens.