A delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa realizou na segunda-feira, 4 de novembro, o seminário intitulado “É para ser igual ou diferente? – Ecos do Futuro”, no auditório da Associação Empresarial do Baixo Ave.

A “promoção da igualdade de género” foi o principal tema de enfoque do seminário “É para ser igual ou diferente? – Ecos do Futuro”, que a delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) dinamizou ao longo do dia de segunda-feira e no qual participaram “aproximadamente 60 pessoas”.

O seminário, que surge na sequência do projeto “A Outra Face” no âmbito do Eixo 7.3. do POPH, contou com “várias pessoas e várias estruturas”, que expuseram “algumas das suas atividades” e “o trabalho que fazem na igualdade de género na sua região”. O programa do seminário deu “ênfase às melhores práticas”, permitindo “a troca de conhecimentos entre diferentes experiências existentes, dar a conhecer práticas bem sucedidas e de interesse geral, promover um compromisso no combate das desigualdades de género e gerar enfoque inovador para abordar as desigualdades de género, raça e outras diferenças”.

Segundo Carla Lima, coordenadora do projeto “A Outra Face”, apesar de o tempo “não ajudar”, a adesão foi “razoável”, uma vez que foram “muito participativos, principalmente durante o período da manhã”, tendo dado para “discutir e criar alguns ecos de futuro”.

A coordenadora fez “um balanço positivo” do primeiro seminário, “principalmente porque se troca contactos, vê-se realidades diferentes, uma vez que cada concelho tem que ter uma intervenção adequada à sua realidade”. “A nossa realidade não é igual à do Seixal ou de Santa Maria da Feira, mas vemos ideias que podem ser postas em prática e há uma troca salutar de intervenções”, explicou.

Dos projetos apresentados, Carla Lima destacou “uma atividade muito interessante” que é desenvolvida em Abrantes, onde “os meninos, desde pequeninos”, são colocados “a lavar loiça e a passar a ferro”, de forma a “incutir” a questão da igualdade “desde o pré-escolar”.

Inserido no projeto “A Outra Face”, a delegação da Trofa tem intervido com “turmas do terceiro ciclo para falar sobre a igualdade, o que tem sido muito gratificante”, segundo contou Carla Lima. “Vemos que ainda existem muitos estereótipos, muitas diferenças que têm que ser trabalhadas e se calhar cada vez mais cedo. Mas falar já desperta para as pessoas refletirem e se calhar ter uma atitude diferente”, referiu.

Ao longo do projeto, vão ser organizadas “ações de formação” no Agrupamento de Escolas Coronado e Covelas com “15 turmas”, fazendo ainda parte dos planos da instituição alargar estas ações a “professores e auxiliares da ação educativa”. Será ainda “replicado” um concurso para a “criação do melhor vídeo”, durante o mês de dezembro, uma vez que na primeira edição “não houve muita adesão”.

Brevemente será lançada a “agenda para a igualdade de 2014, que tem ilustrações de pessoas que quiseram fazer parte da CVP” e que promete “fazer pensar durante esse ano”.

 

Trofa com peditório alimentar

“Apoie a luta contra a fome, ajudando famílias carenciadas”. Este é o apelo que a Missão Sorriso, em parceria com a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), está a fazer para a recolha de alimentos que vai decorrer a nível nacional, neste fim de semana, em todas as lojas Continente.

A delegação da Trofa da CVP vai participar neste peditório alimentar, estando neste fim de semana na loja Continente. “O peditório permitirá continuarmos a ajudar as pessoas que diariamente nos procuram”, avançou fonte da instituição, que salientou que durante o mês de outubro respondeu “46 pedidos de emergência alimentar”.

Os bens angariados vão servir para “continuar a prestar apoio a todas as solicitações feitas pelas técnicas de ação social do concelho”.