O perigo é uma constante, mas o que é certo é que a essência do desporto é mesmo desafiar a Natureza. Os elementos do Clube TT da Trofa não têm dúvidas de que o primeiro raid ao leitão “foi um sucesso”.

Segundo a organização, “duas mil pessoas” não quiseram perder a prova que testa a perícia dos condutores e a resistência das máquinas de quatro rodas que desafiam a lei da gravidade.

E nada melhor do que um condutor de todo-o-terreno há 25 anos para explicar o que o move para muitas vezes arriscar a própria vida por minutos de adrenalina. José Carlos Carneiro vive em Guimarães, mas tem os “negócios na Trofa”. Como forma de escape, cede ao “impulso natural” que é “desafiar a Natureza” e, assim, há um quarto de século que junta incidentes dos quais já lhes “perdeu a conta”. “Mas é só chapa e ferro, felizmente. Fisicamente nunca tive nada de que se notasse”, assegura.

raid-ao-leitao

O condutor não desmente o desgaste físico que este desporto provoca, mas considera-o saudável, já que “ajuda a queimar o que se tem em excesso”.

Para Manuel Azevedo, presidente do Clube TT da Trofa, é o “bichinho” do todo-o-terreno que fala mais alto na hora de ponderar o risco. “Não há competição, o primeiro que ganhar recebe a mesma taça que o último. O que importa é o lazer e as brincadeiras que se fazem para as pessoas poderem divertir-se”, afirmou.

De visita à Trofa, Melchior Moreira, presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, estreava-se a experimentar o desporto de que acabou por se tornar “fã”. “Foi uma sensação inexplicável. Eu acho que é um desafio interessantíssimo. Quando há perícia também é um desporto de segurança e eu faço um desafio como presidente de uma entidade regional para meter na minha carta de promoção turística do Norte, dentro do desporto adrenalina, este raid fabuloso”, referiu.

Também Joana Lima, presidente da Câmara, quis visitar o recinto e sentar-se ao lado de um condutor experiente para sentir um pouco da adrenalina que a pista prometia. “Só uma Presidente de Câmara como eu para fazer uma prova deste tipo. Sem dúvida alguma tive ao meu lado um condutor muito seguro e só assim é que eu poderia arriscar-me a fazer uma coisa destas. Mas gostei muito e estou muito satisfeita”, afirmou.

As dezenas de jipes e a pista sinuosa tornaram o descampado escolhido numa verdadeira atracção. Ao fim do dia só se registava um pequeno incidente, sem feridos, que apenas obrigou a levar um jipe à oficina. Pessoas de dentro e de fora do concelho fizeram com que a estreia do Clube TT da Trofa fosse um sucesso.

Depois do desgaste físico, os condutores e todos os elementos da organização juntaram-se num jantar convívio que tinha, como prato principal, nada mais nada menos que leitão.