“Património Periférico – Cultura e Território” é o nome do seminário que tem lugar no auditório da Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, em Vila Nova de Famalicão, no dia 5 de novembro. Neste evento, propõe-se a cerca de uma dezena de conferencistas que falem do passado, do presente e do futuro das azenhas e açudes do Rio Ave.

A iniciativa, promovida pela autarquia famalicense, terá como ponto de partida um trabalho de investigação realizado pelo arquiteto Rogério Matos, sobre a história da atividade e tecnologias associadas de 15 azenhas e nove açudes, localizados no Vale do Ave, a cerca de 20 quilómetros da foz.

“Apontar soluções para a preservação e valorização deste património histórico” é um dos propósitos deste seminário.

Entre as várias curiosidades desvendadas no trabalho de investigação destaque para a existência de referências, que indicam a exportação de farinha para a Alemanha durante a Segunda Grande Guerra Mundial, produzida por Azenhas de Vila Nova de Famalicão.

As inscrições são gratuitas e podem ser efectuadas on-line no sítio da Internet do Município de Vila Nova de Famalicão (www.vilanovadefamalicao.org/_exposicao_e_seminario).

Entretanto, a 3 de novembro, é inaugurada na Biblioteca Municipal a exposição “Património à Prova de Água: Apontamento para a salvaguarda das Azenhas & Açudes nas Margens do Rio Ave, Vila Nova de Famalicão / Trofa”.

A exposição pode ser visitada até 26 de Novembro, às segundas-feiras das 14h00 às 19h30, de terça a sexta-feira das 10h00 às 19h30 e aos sábados das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00.

{fcomment}