Padre Lino Maia protagonizou uma palestra sobre ação social, no dia 12 de março, onde deu a conhecer o número de instituições sociais e o que deve ser feito para as apoiar.

O Restaurante Julinha foi palco de uma palestra do Padre Lino Maia, na segunda-feira, dia 12 de março, onde várias instituições sociais do concelho da Trofa marcaram presença. Uma ação, desenvolvida pelo Rotary Club da Trofa, com o intuito de informar as várias Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) sobre o estado social do país. Segundo o presidente da Rotary, Victor Boucinha, decidiram convidar o padre Lino Maia, devido aos seus conhecimentos, abordando “os vários pontos que preocupam no estado social”.

“Estivemos a pensar quem seria a pessoa isenta a um estado político, que tivesse conhecimento das IPSS e que tivesse o conhecimento da realidade do estado social, bem como dos vários tipos de participações sociais: como é que eles estão a comportar, como é que se sentem as dificuldades, quais são as necessidades. E quisemos trazer uma pessoa que vive no conhecimento e que desse também parte do conhecimento que tem das causas. O padre Lino Maia é uma pessoa que vive, que sabe e que na realidade tem conhecimento factual de muitas situações que se têm passado no País e na nossa zona”, afirmou Victor Boucinha.

O presidente sublinhou a adesão da comunidade associativa social da Trofa, pois demonstraram a sua preocupação, com as suas participações na palestra. Relativamente às últimas notícias na comunicação social, que dão conta do abandono de vários idosos, que acabam por morrer sozinhos, Victor Boucinha salientou que a Mundos de Vida é uma associação social que se preocupa com a interação entre jovens e idosos, para que os mais novos “tivessem o conhecimento do que é o idoso e qual é o nosso caminho futuramente”.

O presidente não se esqueceu de mencionar que é necessário “criar um caminho com máxima comodidade e com maior vivência” para os idosos. No final, o presidente do Rotary destacou um exemplo, que outrora um amigo lhe deu: “Toma cuidado com as atitudes que tens, pois és um exemplo para alguém”, frisando a necessidade de preparar os jovens para uma maior humanização.

Lino Maia, presidente das IPSS na Confederação Nacional das Instituições da Solidariedade (CNIS), contou que foi desafiado pelos rotários a deslocar-se à Trofa, tendo-o feito com “muito gosto”, pois, além de ter exercido funções de pároco em Covelas e S. Romão do Coronado entre, 1975 a 1985, tem bastantes amigos no concelho, salientando o padre Armindo Gomes, de Santiago de Bougado, e padre Luciano Lagoa, de S. Martinho de Bougado, como “extremamente importantes”. Durante a palestra, o presidente quis sublinhar o número de instituições que existe neste País, bem como a sua importância social. Apesar de os números oficiais apontarem para cerca de cinco mil IPSS, o Padre Lino Maia afirma que só cerca de quatro mil é que estão em atividade, tendo cerca de 600 mil utentes, e mais de 200 mil trabalhadores. 

O sacerdote frisou a importância da comunidade, pois são “as pessoas que, ao saberem de um problema, procuram criar respostas para essa situação”, cumprindo assim o dever de todo o cidadão, que é “contribuir para a solução dos problemas e na construção de um futuro melhor”. Devido a vários problemas na área social, Lino Maia ressaltou duas soluções: “Uma atenção especial à família” e um maior “envolvimento na comunidade”. “A primeira prioridade das prioridades é que a família assuma as suas responsabilidades. Tem de haver uma atenção especial à família, um acenar para a responsabilidade, para que todos os seus membros, desde a criança até ao idoso, se empenhem mais. E depois também o envolvimento na comunidade, chamando particularmente a atenção dos jovens. Julgo que se cada jovem apadrinhasse um idoso não tínhamos gente abandonada e a viver só”, sublinhou.

O padre felicitou a comunidade trofense, por esta ser “muito solidária”. Além disso, congratulou as várias instituições do concelho, afirmando que existe “uma boa instituição que apoia as pessoas com deficiência mental”, referindo-se à APPACDM da Trofa. O Rotary Club da Trofa está já a preparar várias palestras, sendo que a próxima será dedicada à educação. Além disso, haverá ainda a entrega do título Paul Harris a dois designers de moda da Trofa, entrega da receita do peditório para a Liga Portuguesa contra o Cancro e a festa do final do ano da Universidade Sénior, onde “os alunos vão apresentar o que aprenderam, bem como as suas capacidades, à população em geral”.

{fcomment}