José Ricardo Dias foi apresentado como pároco de S. Cristóvão do Muro, numa eucaristia, em que sentiu o carinho da comunidade.

Não precisa de grandes orientações, mas a hospitalidade das gentes do Muro fê-lo guiar-se por um tapete colorido até àquela que será, nos próximos tempos, a sua casa. O padre José Ricardo Dias apresentou-se à comunidade, a 27 de setembro, com uma eucaristia realizada ao ar livre, no largo de S. Cristóvão, junto à igreja paroquial, cumprindo as regras impostas pelo contexto sanitário que vivemos.

Apesar de estar numa comunidade nova, este é quase um regresso à Trofa, onde o sacerdote deu os últimos passos rumo à ordenação. “Foi em S. Martinho de Bougado que estagiei. Sempre gostei do município, onde me senti sempre bem tratado e acolhido. Por isso, este regresso é visto com muito bons olhos”, confessou o sacerdote, em entrevista ao NT.

Ordenado em 2012, José Ricardo Dias já acumulou experiência em paróquias dos concelhos de Amarante e Marco de Canaveses, mas abraçar uma nova comunidade exige sempre uma descoberta.

“A minha prioridade, neste momento, é conhecer as pessoas e a realidade desta paróquia e ajudar naquilo que são as especificidades da comunidade. Depois, sim, com o desenrolar das atividades, vão surgir os desafios”, detalhou, sem deixar de reconhecer que sentiu “a satisfação” dos fiéis, por terem “um pároco residente”.

Esta condição dá a José Ricardo Dias a possibilidade de manter uma “grande proximidade às pessoas e disponibilidade para os grupos paroquiais”, sendo certo que – e apesar de não haver nenhuma nomeação oficial – irá auxiliar o padre Luciano Lagoa nas paróquias de S. Martinho e Santiago de Bougado. Ainda assim, garante: “Eu sou o pároco do Muro e esse será a minha principal realidade nesta fase”.

Por outro lado, esta “exclusividade” acaba por atenuar a tristeza da comunidade, que viu o antigo pároco, Rui Alves, abraçar uma nova missão. “Os fiéis nunca gostam de perder um pároco, com o qual se identificam e com quem gostavam de trabalhar. É sempre difícil e, neste caso específico, senti que para a comunidade foi bom terem um pároco residente”, frisou.

Padre campeão europeu de futsal

Além dos afazeres normais de um sacerdote, José Ricardo Dias destaca-se também no desporto, nomeadamente no futsal. É jogador da seleção nacional do clero e ostenta o título de pentacampeão europeu, num palmarés que, porém, foi interrompido este ano, com o 3.º lugar conquistado na prova.