Itália, Perú, Rússia, Portugal, Bósnia e EUA. Estes são os países de origem dos artistas que vão integrar o programa do XVII Festival Internacional de Guitarra, apresentado hoje em conferência de imprensa, no Salão Nobre da Câmara Municipal.

Organizado pela Câmara Municipal de Santo Tirso há 17 anos, o certame arranca no dia 7 de Maio e encerra no dia 28 do mesmo mês. Do programa fazem parte seis concertos e um curso de guitarra clássica, sempre encabeçados por alguns dos maiores talentos da guitarra internacional.

O Festival Internacional de Guitarra de Santo Tirso (FIGST) é um ícone da cultura nacional e, este ano, volta a proporcionar alguns momentos musicais de grande qualidade. Aniello Desiderio´s Quartetto Furioso (Itália), Jorge Caballero (Peru), Alexey Arkhipovsky (Rússia), Júlio Guerreiro (Portugal), Denis Azabagic (Bósnia) e Hopkinson Smith (EUA) são os nomes dos artistas que vão conduzir os espectáculos que preenchem este programa.

Nesta edição de 2010 – dedicada às “transcrições para guitarra”, ou seja, obras originalmente feitas para outros instrumentos musicais mas que foram transcritas para guitarra, transformando-se em obras reconhecidas mundialmente – os destaques vão naturalmente para dois dos expoentes mundiais Hopkinson Smith (alaúde e vihuela) e Alexey Arkhipovsky (balalaika).

O Festival Internacional de Guitarra teve início em Santo Tirso, no ano de 1994 e, desde então, tem sido promovido anualmente pela Câmara Municipal de Santo Tirso, com o apoio artístico da ARTAVE. São 17 anos dedicados a um encontro de cultura e arte que reúne alguns dos melhores artistas internacionais.

“O festival só ainda não acabou por ser uma referência internacional”, começou por afirmar um pouco desiludido o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Castro Fernandes, constatando “a falta de apoios oficiais ao evento”. Mas o Autarca não deixou também de informar os jornalistas presentes que “mesmo sob fortes constrangimentos orçamentais” o festival vai continuar a “garantir a qualidade artística” que se exige de um evento que “há muito ganhou raízes de qualidade” e que, inclusive, já foi considerado “um dos melhores do mundo”.

Por seu lado Alexandre Reis, o director da Artave, (entidade a quem a Câmara Municipal de Santo Tirso delegou a direcção artística do evento) preferiu dizer que “a qualidade artística do festival impôs-se às restrições orçamentais” e que, em Santo Tirso, vão estar “não os maiores mas os melhores guitarristas”, adiantando que “o esforço económico por parte da Câmara Municipal” está a ser feito “em prol da cultura e das artes” e que, por isso, o festival “continuará a projectar o nome de Santo Tirso em todo do Mundo”.

Programa:

7 de Maio

Aniello Desiderio´s Quartetto Furioso (Itália) – Guitarra clássica, violino, piano e percussão

Auditório Padre António Vieira, Caldas da Saúde/21h45

14 de Maio

Jorge Caballero (Perú) – Guitarra clássica

Auditório Padre António Vieira, Caldas da Saúde/21h30

15 de Maio

Alexey Arkhipovsky (Rússia) – Novas expressões/Balalaika

Auditório Eng.º Eurico de Melo, Santo Tirso/21h30

21 de Maio

Júlio Guerreiro (Portugal) – Guitarra clássica

Auditório da Biblioteca Municipal, Santo Tirso/21h30

22 de Maio

Denis Azabagic (Bósnia) – Guitarra clássica

Auditório da Biblioteca Municipal, Santo Tirso/21h30

28 de Maio

Hopkinson Smith (EUA) – Alaúde e Vihuela

Auditório do Centro Cultural, Vila das Aves/21h30

No dia 22 de Maio, entre as 10 e as 13 horas decorrerá um Master-Class em Guitarra (Auditório Museu Municipal Abade Pedrosa, Santo Tirso) sob coordenação do guitarrista bósnio Denis Azabagic.

Os bilhetes para os concertos custam 7,5 euros, exceptuando os de abertura e encerramento que custam 10 euros. Os utentes com “cartão jovem” e com “cartão + vida” tem desconto de 50 por cento nos bilhetes.

Para mais informações consulte o sitio da Câmara Municipal de Santo Tirso www.cm-stirso.pt no link da “cultura” (festival de guitarra).