O sequestro de mais de 200 meninas nigerianas efetuado pelo grupo islamista «Boko Haram», ocorrido há mais de um mês é um ato terrorista que deve encher de vergonha toda a humanidade. Embora não tenha gerado de imediato uma onda gigante de emoções, o certo é que nos últimos dias as iniciativas têm-se multiplicado e já são muitas as figuras públicas que se têm associado ao movimento #BringBackOurGirls (trazer de volta as nossas meninas).

O grupo terrorista «Boko Haram», que começou a chamar a atenção das autoridades no início deste século é uma organização fundamentalista islâmica, que tem por objetivo impor a lei islâmica a todo o território nigeriano, acabar com a democracia na Nigéria e promover a educação em escolas islâmicas, pois considera que a «educação ocidental ou não-islâmica é um pecado». Estes terroristas foram treinados pela AQMI (Al-Qaeda no Magrebe Islâmico) e estão espalhados por outros países africanos, que servem de base para o grupo. 

Os vários atentados deste grupo terrorista, que aconteceram a partir de 2009, já mataram milhares de pessoas. Entre os atentados terroristas está o ataque à sede da ONU na capital nigeriana, em agosto de 2011, que matou dezenas de pessoas e o ataque à bomba à igreja de Santa Theresa, em 25 de dezembro do mesmo ano, que vitimou quase meia centena de inocentes. Também são muitos os ataques feitos a escolas de meninas, pois estes fundamentalistas islâmicos são contra qualquer ensino para meninas.

O sequestro recente de 276 meninas, das quais apenas 53 conseguiram escapar, veio alertar a opinião pública para este problema, que não é só um problema nigeriano, mas é também um problema mundial. Muitas meninas, que foram sequestradas noutros ataques, foram levadas para serem violadas pelos terroristas e outras foram levadas para aldeias muçulmanas para toda a população também poder violá-las. É assim que o grupo terrorista «Boko Haram» aumenta a sua popularidade junto da população islâmica nigeriana.

Em resposta ao terror contra as meninas em escolas, o governo nigeriano já encerrou perto de uma centena de escolas. O terrorismo é mesmo isto; é o uso da violência física ou psicológica de modo a incutir medo, e assim obter efeitos psicológicos que ultrapassem largamente o círculo das vítimas. Já está a surtir o efeito que os terroristas desejam, mas espera-se que o mundo não se vergue perante estes crimes hediondos.

Um vídeo do líder do grupo terrorista declarando as suas intenções em relação às meninas foi divulgado recentemente, causando uma onda de choque e indignação em todo o mundo. De imediato criou-se uma onda de protesto, originando uma campanha pelo resgate das meninas nigerianas sequestradas. São já muitas as personalidades de todo o mundo e de todos os quadrantes que participaram ativamente e deram a cara por tão nobre causa. Nem mesmo o Fórum Económico e Mundial, que decorreu recentemente foi capaz de afastar as atenções internacionais para o sequestro das meninas nigerianas. No decorrer do fórum, houve um minuto de silêncio em homenagem às estudantes.

Este novo tipo de guerra, em que as armas são pessoas programadas para fundamentalismos estúpidos, tem trazido horrores, traz horrores e a vai continuar a trazer horrores. A batalha «trazer de volta as nossas meninas» tem de ser ganha. Urgentemente!