A propagação do novo coronavírus voltou a subir. Na Trofa, entre o período de 10 a 23 de março e de 17 a 30 do mesmo mês, houve um crescimento de novos casos de mais de 130 por cento.

Depois de uma descida constante desde o início do segundo confinamento, o concelho da Trofa registou nova subida do número de casos Covid-19. Depois de, entre 10 e 23 de março, apresentar uma taxa de incidência (TI) de 42 casos por cem mil habitantes – que representa 16 casos identificados – este território registou, entre 17 e 30 do mesmo mês, 96 casos por cem mil habitantes, ou seja, 37 casos. Uma subida de mais de 130 por cento, que deve fazer soar alguns alarmes e servir de efeito dissuasor de atitudes menos cautelosas por parte da população.

Estes são os dados da Direção Geral da Saúde, mas segundo a Lusa, o crescimento continua a verificar-se. Segundo a agência noticiosa, citando um documento da Administração Regional de Saúde do Norte, na penúltima (21 a 27 de março) e última semana de março (28 a 03 de abril), a Trofa registou 11 e 20 casos, respetivamente, num crescimento de 82 por cento.

O concelho é um dos 25 no Norte que apresentam subidas acima dos 50 por cento.

Passados 13 meses desde o início da pandemia 3947 trofenses já foram infetados com coronavírus, o que representa 10,27% da população do concelho. Só 29 concelhos atingiram a fasquia dos 10 % das infeções, entre os quais Famalicão (11,04) e Santo Tirso (10,04).

O desconfinamento abriu-nos as portas de parques e esplanadas, mas esta nova normalidade deve ser encarada com cuidados redobrados. As regras básicas de contenção do vírus – higiene das mãos, uso de máscara e distanciamento social – continuam a ser primordiais para que o nível de propagação se mantenha baixo.

Relativamente aos concelhos vizinhos, a tendência de crescimento também se verificou em Santo Tirso e Vila Nova de Famalicão: de 17 a 30 de março, foram identificados 61 casos (TI de 90/100 mil habitantes) no primeiro e 83 no segundo (63/100 mil habitantes).

Em Vila do Conde houve redução do número de casos: a taxa de incidência desceu de 48/100 mil para 28/100 mil (22 casos). Na Maia também: 58 infetados na última quinzena do mês (TI de 42/100 mil), menos seis que no período anterior.