O pacote de 1,17 mil milhões de euros que o Governo destinará à expansão do metro no Grande Porto contempla a linha da Trofa até ao ISMAI. Só que com alterações.

Quanto ao metro propriamente dito, só circulará entre o ISMAI e a estação do Muro, sendo que a linha prossegue até Paradela, mas em metrobus.

O metrobus é um sistema de transporte público baseado no uso de autocarros, que combina a capacidade e a velocidade do metro com a flexibilidade, o baixo custo e a simplicidade de um sistema de linhas de autocarros. Este meio opera numa faixa de rodagem exclusiva, para evitar o congestionamento do trânsito, e inclui estações, veículos e sistemas inteligentes de tráfego num sistema integrado e flexível.

Ora, da nova linha existirão nove estações, incluindo a do ISMAI, Ribela, Muro, Serra, Bougado, Pateiras, Senhora das Dores, Trofa e Paradela, numa extensão de 10,73 quilómetros.

Segundo o estudo encomendado à Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, sobre a avaliação da procura potencial das futuras linhas, a da Trofa foi a segunda com menos procura, apresentando, segundo os investigadores, uma “média diária” de 11.121 validações.

Acima só a segunda linha da Maia, que, inclusive, não está contemplada com financiamento no Programa Nacional de Investimento (PNI) 2030.

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, afirmou que espera que a maioria dos concursos públicos de conceção e de construção das novas ligações seja lançada até ao final do próximo ano.

*Fotomontagem