Metalogalva, dedicada à engenharia e proteção do açoadquiriu a PETITJEAN SAS, uma empresa sediada em França, que atua nas áreas de iluminação pública, estruturas tubulares para transporte, distribuição de energia e telecomunicações. Conhecida pelo nome do seu fundador, a Petitjean atua, essencialmente, no mercado francês e em países francófonos, tendo faturado 49,1 milhões de euros, em 2019.

Sérgio Silva, CEO do VigentGroup, demonstra-se “muito satisfeito com esta aquisição, que permitirá incrementar a quota de mercado da Metalogalva em França para um valor consolidado de 43 milhões de euros. É uma aposta estratégica muito importante, que nos permitirá melhorar toda a supply chain e desenvolver importantes sinergias ao nível da investigação & desenvolvimento”.

PETITJEAN SAS está sediada em Troyes, numa área industrial de 30 hectares, onde desenvolve, concretiza e entrega todas as suas soluções. A PETITJEAN SAS consegue garantir a coordenação, receção e qualidade dos seus produtos nos diversos mercados em que opera. Reconhecida mundialmente pela sua experiência no setor, soma 60 anos de know-how.

A organização, fundada em 1959 por Daniel Petitjean, é reconhecida pelos altos padrões de qualidade das suas soluções inovadoras, que lhe permitiram consolidar-se num mercado altamente competitivo. A PETITJEAN SAS, que conta com cerca de 350 trabalhadoresirá manter a sua gestão atual.

Já a Metalogalva pauta a sua atuação internacional pela elevada competitividade, garantindo elevados padrões de qualidade, sem descurar a satisfação dos seus clientes. A estratégia passará por manter as marcas, devido ao reconhecimento de ambas na Europa, procurando a cooperação entre os diferentes departamentos, numa lógica de complementaridade.

A companhia pertencente ao VigentGroup, com presença em 14 países, evidencia uma cultura assente na investigação, desenvolvimento e inovação dos seus produtos. Com esta compra, a Metalogalva, que tem integrado vários consórcios internacionais para o desenvolvimento das soluções mais vanguardistas nos mais diversos setores, como o da energia, iluminação ou transportes, prevê faturar, em 2020, 150 milhões de euros consolidados, reforçando, desta forma, a sua grande implantação internacional.