quant
Fique ligado

Trofa

Mercadona participa na recolha de alimentos do Banco Alimentar Contra a Fome

Publicado

em

A Mercadona junta-se, uma vez mais, à campanha de Recolha de Alimentos, organizada pelo Banco Alimentar Contra a Fome, de 26 de novembro a 5 de dezembro. A empresa coloca à disposição desta campanha os seus pontos de venda para a angariação de fundos que, posteriormente, converterá em alimentos para entregar aos bancos alimentares dos distritos onde tem supermercados.

A Mercadona colabora nesta iniciativa social com o compromisso de motivar os clientes a participar nesta grande campanha solidária, que consiste na doação monetária, em múltiplos de 1€, que os clientes poderão realizar nas caixas de pagamento no momento da compra. As quantidades doadas serão convertidas em alimentos pela Mercadona, que depois os entregará aos respetivos bancos alimentares.

Doações da Mercadona em 2021

Entre janeiro e outubro, a empresa doou 1.050 toneladas de alimentos e produtos de primeira necessidade a cantinas sociais, bancos alimentares e outras entidades sociais de Portugal, que correspondem a 17.500 carrinhos de compra. Deste total, 600 toneladas, destinaram-se a entidades sociais do distrito do Porto.

A Mercadona colabora em Portugal com 25 cantinas sociais e 4 bancos alimentares entre, outras instituições que recebem diariamente doações para apoiar pessoas que se encontram em situações precárias.

Uma política de ação social sustentável integrada na estratégia de Responsabilidade Social da Mercadona

A Mercadona, dentro do seu compromisso de partilhar com a sociedade parte do que dela recebe, integra o seu Plano de Responsabilidade Social no dia a dia da sua atividade, atendendo à componente social e ética através de diferentes linhas de ação sustentáveis ​​que reforçam a sua aposta no crescimento partilhado.

A par da doação de alimentos, a Mercadona colabora de forma próxima com 32 fundações e centros ocupacionais na decoração das suas lojas com murais de trencadís (mosaicos típicos do Mediterrâneo), elaborados por mais de mil pessoas com incapacidade intelectual.

Outra linha estratégica do Plano de Responsabilidade Social é a sustentabilidade. Para isso, possui um Sistema de Gestão Ambiental próprio, baseado nos princípios da economia circular e focado na otimização logística, eficiência energética, gestão de resíduos, produção sustentável e redução do plástico.

Publicidade

Nesse sentido, a Mercadona, junto dos seus fornecedores Totaler, está a desenvolver a Estratégia 6.25: 6 ações para atingir um triplo objetivo até 2025: reduzir o plástico em 25%, que todas as embalagens sejam recicláveis, e reciclar todos os seus resíduos de plástico.

A Mercadona integra desde o ano de 2011 o Pacto Mundial das Nações Unidas para a defesa dos valores fundamentais em matéria de Direitos Humanos, Normas Laborais, Meio Ambiente e Luta contra a Corrupção.

Continuar a ler...
Publicidade

Trofa

Meninos Cantores vão andar “por terras de Portugal” em concerto no auditório de S. Martinho

Os Meninos Cantores do Município da Trofa vão dar um concerto, esta sexta-feira, no auditório da Junta de Freguesia de Bougado, em S. Martinho.

Publicado

em

Por

Os Meninos Cantores do Município da Trofa vão dar um concerto, esta sexta-feira, no auditório da Junta de Freguesia de Bougado, em S. Martinho.

“Por terras de Portugal” é o epíteto do espetáculo onde serão apresentadas canções tradicionais portuguesas das várias regiões do país.

O concerto tem início marcado para as 21h30.

Continuar a ler...

Lifestyle

E-Sports e jogos online continuam em crescimento

Publicado

em

Por

Os jogos online estão em ascensão, mas para se compreender o futuro, é necessário olhar para o passado. Mas, para falar sobre a história dos videojogos, temos de começar por abordar os jogos da arcada. Na verdade, se é mesmo fã dos jogos online, saiba que pode jogar bingo online dinheiro real, um autêntico regresso ao passado. A década de 80 ficou marcada pelas máquinas de jogos e pelos “gameboys”. Os videojogos ganharam o seu lugar na sociedade. Mas não pararam por aí. O desenvolvimento dos primeiros computadores e da Internet deu origem ao “boom” mais significativo. Os anos 90 trouxeram o clássico jogo de cartas “Solitário” e os jogos para a “Playstation”. Nessa época, o mundo dos videojogos começa a fervilhar, sobretudo pela facilidade que a Internet trouxe. 

Em 2000, o nome “Sims” tornou-se popular. Surgiram ainda vários jogos para consolas e até novos aparelhos, tais como a Xbox, a Nintendo e a Nintendo Wii Fit. 10 anos depois, os “smartphones” tornaram possível jogar em qualquer lugar e a qualquer hora. Eram considerados uma espécie de computador de jogos que cabia no bolso. Este foi mais um ponto de viragem: a produção dos “smartphones”. E é exatamente nos telemóveis que se tem notado o maior crescimento nos jogos online. De acordo com os dados do Newzoo, em 2020, o mobile (“smartphones” e “tablets”) assumiram a liderança nos ganhos, com cerca de 82 mil milhões de euros, seguido pelas consolas, com quase 49 mil milhões de euros, e os computadores, com 36 mil milhões de euros. Neste setor, os jogos que foram surgindo tornaram-se verdadeiros fenómenos. Por exemplo, o jogo Angry Birds (em 2009) ou o Pokemón Go (em 2016). Este último chegou a ultrapassar os 500 milhões de “downloads”.

 

Em 2018, um artigo da Reuters referia que “os jogos são a forma de entretenimento favorita do mundo, já que a indústria de jogos gerou mais receita no ano passado do que a TV, os filmes e a música”. O mesmo artigo destacou ainda que as outras formas de entretenimento estavam em declínio. “A receita da TV caiu 8 por cento no ano passado – as vendas do setor de jogos estão aumentando a uma taxa anual de 10,7 por cento. Parte do maior crescimento vem de mercados relativamente novos, como a China, onde as vendas de jogos estão subindo 14 por cento ao ano”, pode ler-se.

Diversos estudos apontam o ano de 2020 como um ano de maior crescimento na indústria dos jogos online. Acredita-se que a pandemia de COVID-19, que consigo trouxe o isolamento social, fez com que os jogos aumentassem as suas receitas. Já este mês, a China concedeu novas licenças para jogos online pela segunda vez este ano, uma decisão que impulsionou as ações das gigantes de tecnologia neste mercado. Foram 60 novos jogos aprovados, depois de um lote inicial em abril, informou a Administração Estatal da Imprensa e Publicação ao Expresso.

Recorde-se que em julho de 2021, Pequim congelou o processo de licenciamento de jogos online e no mês seguinte, as autoridades impuseram ainda um limite de três horas por semana para menores de 18 anos jogarem online. Ou seja, as previsões de futuro para esta indústria mantêm-se idênticas ao panorama atual: crescimento sustentado, mas agora pais e filhos jogam juntos. Além disso, várias marcas também já estão a implementar os jogos na sua estratégia de marketing. Por exemplo, recentemente, o Boticário apresentou uma loja dentro de um jogo e o MCDonald ‘s inaugurou duas unidades virtuais (uma no Minecraft e outra no The Sims 4).

Continuar a ler...
EuroRegião Talks

Inscrições EuroRegião Talks

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também