A Câmara Municipal da Trofa aprovou por unanimidade, esta quinta-feira, 18 de novembro, em Reunião de Câmara, a atribuição da primeira CHAVE DA CIDADE, da história do jovem Concelho da Trofa, a Luís Portela.

Esta distinção teve por base “o seu currículo pessoal, profissional, empresarial, cívico e científico, o seu prestígio nacional e internacional, a sua notoriedade no contexto académico português e internacional, o seu enorme contributo para o desenvolvimento da ciência e da investigação em Portugal e no mundo, como Fundador e Presidente da Fundação Bial, instituição internacional, aclamada em vários países, que apoia e permite o progresso da ciência, do conhecimento e da investigação na área da saúde, e por ter sido o timoneiro da projeção mundial da maior farmacêutica portuguesa, BIAL, localizada em São Mamede do Coronado (Trofa), desde 1996.”

A proposta apresentada a Reunião pelo Presidente da Câmara Municipal da Trofa, Sérgio Humberto, justamente para assinalar também a efeméride do 23º Aniversário do Município da Trofa, lembra a importância deste reconhecimento, pois “um país sem memória é um país sem futuro e que o reconhecimento de individualidades e instituições nacionais e internacionais, que a partir do nosso território, se destacam e se projetam para os quatro cantos do planeta, evidencia uma característica singular da nossa história e da nossa identidade, construída não num caminho de sentido único, mas no encontro entre muitos contributos que deixam a sua marca perene na nossa narrativa”.

A Bial tem fábrica na Trofa e 10 filiais, e emprega hoje 1.011 pessoas, dos quais 10% são doutorados, tendo 150 profissionais a trabalhar em I&D, de 17 nacionalidades.

Exportando para 60 países, fechou o pandémico ano de 2020 com uma faturação de 344 milhões de euros, mais 11,3% do que no ano anterior, com 80% a ser garantida nos mercados externos.