“Correu melhor do que estava à espera”. É com um grande sorriso nos lábios que Fernando Duarte recorda a tarde da estreia da peça “Uma Série de Trapalhadas”, que assinalou o 129.º aniversário de nascimento do padre Joaquim Sousa Ferreira e Silva, que paroquiou S. Mamede do Coronado entre 1924 e 1975.
A peça, escrita pelo antigo pároco e levada à cena por Fernando Duarte e elementos do Grupo Paroquial Jovens Unidos, serviu também para inaugurar o palco da residência paroquial, que tinha sido recuperado em 2017.
No domingo, 11 de fevereiro, apesar de em simultâneo estar a ocorrer o desfile de Carnaval na cidade da Trofa, o salão foi pequeno para acolher todos aqueles que quiseram assistir à estreia de “Uma Série de Trapalhadas”, uma obra que compila vários monólogos sobre as vivências da comunidade nos tempos do padre Joaquim Silva. “Eu conhecia bem o trabalho dos atores pelo que faziam nos ensaios, mas a performance de todos ultrapassou as expectativas. No final, muitas pessoas do público vieram ter connosco para nos felicitar e mostraram-se satisfeitos”, referiu Fernando Duarte.
O encenador quer levar à cena mais uma peça, mas está com dificuldade em reunir atores. Por isso, apelou “à participação da população das outras freguesias do concelho que esteja interessada em fazer teatro”. “Sabendo que no concelho há tradição no teatro, espero que haja atores disponíveis para participar na peça nova”, sublinhou.
Para já, estão previstas mais duas sessões de “Uma Série de Trapalhadas”, ainda sem data definida.