Chegou ao fim mais um campeonato da Liga de Clubes Slot Endurance. Em seis provas, outros tantos clubes tiveram oportunidade de competir num campeonato impulsionado pelos membros do Clube Slotcar da Trofa. A competição realizou-se em várias cidades do Norte, como Braga, Matosinhos, Aveiro e Porto e as equipas concorriam pelo melhor tempo na calha. No final, obtinham uma pontuação, à qual juntavam ao que já tinham somado nas provas anteriores.

Terminou na Trofa, no sábado, 19 de maio, com as equipas a fazerem os últimos esforços pelos melhores lugares da tabela classificativa. Desta vez, o Clube Slotcar da Trofa deixou escapar o título. Na última prova da Liga de Clubes Slot Endurance, ao GT Team cabia segurar a preciosa vantagem e só uma hecatombe lhe tirava o troféu. Já a equipa da Trofa conseguiu o 2º lugar, superiorizando-se ao Slot Clube de Matosinhos. 

 

O atleta trofense José Dias explicou que, neste campeonato, a equipa “teve alguns problemas que a arredaram da luta pelo título”. “Perante isto, lutamos pelo 2º lugar, fazendo o melhor que podemos para dignificar o clube”, complementou. Já Rui Mota, da equipa vencedora GT Team, não escondeu a felicidade pela vitória, confessando, entre risos, que nem sabe “como correu tão bem” mas que foi um “campeonato maravilhoso”. 

Em relação à equipa trofense, o piloto afirmou tratarse de uma “equipa forte”, tirando o “chapéu” à iniciativa do Slotcar da Trofa que possibilitou “momentos maravilhosos” e que “abriu sem dúvida muitas portas para estes campeonatos”, destacando ainda a prova realizada em Barcelona. Para além do visível esforço do Clube Slotcar da Trofa para colocar a modalidade do slotcar no calendário desportivo nacional, a organização deste tipo de campeonatos é “único”, segundo José Dias, que acredita conhecer apenas “provas de um dia” em outros locais do país. “Faz parte do nosso clube promover esta atividade, para que as pessoas continuem a gostar de a praticar e que a bem dizer se juntem todas”, sublinhou o piloto da equipa trofense acerca do intuito da organização.

Ainda de acordo com José Dias, o slotcar é, neste momento, “pouco conhecido e praticado” mas conta já com cerca de “um milhar de aficionados”, maioritariamente na “zona norte, devido à facilidade da deslocação”. No final, a boa disposição durante a prova, acabou por empurrar para segundo plano a importância da classificação. 

{fcomment}