Presta “serviços às pessoas mais sós”, participa nas festas da freguesia e atividades religiosas e dinamiza diversas iniciativas. O grupo de jovens Juventude Sem Fronteiras (JSF) do Muro, fundado a 21 de abril de 1996, está disponível para “ajudar no quer for preciso na freguesia” como “também no concelho”.

O responsável pelo grupo, Rui Carvalho, afirmou que o principal serviço da JSF do Muro é “tentar alegrar as pessoas que se sentem sozinhas”, tendo como “objetivo bem claro chegar às pessoas do Muro”. Como exemplo, apresentou o projeto dinamizado “há pouco tempo”, quando o salão paroquial da freguesia se transformou numa sala de cinema para as pessoas, que “não têm a possibilidade de irem a uma sala de cinema”, ver “um filme de S. Francisco”. “Foi uma excelente iniciativa, toda a gente gostou, só ainda não fizemos mais porque a agenda é complicada para conseguirmos conciliar com as nossas atividades”, contou.

Além disso, ao longo deste ano, a JSF do Muro participou em casamentos, com o grupo coral, na festa da freguesia, dinamizou o Festival de Tunas e a Festa de Carnaval e, “todas as semanas”, canta na missa. Na “primeira semana de agosto”, a JSF do Muro vai estar representada por “15 elementos” no acampamento do Giofrater, que é “o grupo nacional de grupos de jovens” ao qual pertencem há 18 anos. “Fazemos questão de participar no acampamento todos os anos. É uma boa iniciativa tanto para acolher os novos elementos, que maioritariamente são recentes, e é ótimo acolhê-los no seio da nossa família”, referiu.

Rui Carvalho mencionou que os elementos da JSF do Muro são “de louvar, porque basicamente andam todos na faculdade e é muito complicado reunir e pensar no que fazer para levar as iniciativas avante”, mas, mesmo assim, têm “um conjunto de iniciativas de âmbito social” que vão “avançar com o objetivo de ir até aos idosos, falar com eles, dar um bocadinho de carinho e de conforto”. “É isso que todos queremos e sentimos ser gratificante”, finalizou.