Para “não a deixar cair”, jovens decidiram juntar-se novamente para organizar a festa em honra de Nossa Senhora do Desterro, que se realiza de 24 a 27 de abril, em Bairros, Santiago de Bougado.

Após dois anos sem celebrações profanas em honra de Nossa Senhora do Desterro, em 2013, um grupo de jovens decidiu arregaçar as mangas, pôr mãos à obra e reatar a tradição. Como no final fizeram “um balanço positivo” e, este ano, “não havia mais ninguém interessado”, o “interesse e a vontade de todos” em “não deixar acabar as festas”, motivou-os a repetir o trabalho.

Com a entrada de “outros membros” e a saída de outros, por “motivos pessoais”, a comissão de festas, que conta com “cerca de 14” elementos, é constituída por Márcia Azevedo (juiz), João Nogueira (tesoureiro) e Pedro Azevedo (secretário).

Com um programa para todos os gostos de maneira “a agradar a todas as idades”, João Nogueira destaca o dia 25 de abril como “o ponto fulcral da festa”, devido à realização da Feira da Saúde e do Dia Vicarial da Catequese com “mais de 2500 crianças”, apontados como os “dois momentos importantes”.

No dia 26 de abril, pelas 21 horas, haverá o terço e a procissão de velas, que foi realizada “pela primeira vez o ano passado”, e no dia seguinte, pelas 17 horas, destaque para o terço e procissão, onde não vão faltar as figuras litúrgicas, como a Sagrada Família, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora do Desterro, Nossa Senhora das Dores e Nossa Senhora da Livração.

Com um orçamento “à volta dos 20 mil euros”, a comissão de festas fez um peditório pelos lugares de Bairros e Maganha, rifas pela altura do Natal e Páscoa e participou numa prova de jipes com “um monobloco com comida e bebida à venda”. Este ano, o peditório foi “restrito” a dois lugares da freguesia, contrariamente ao ano anterior, em que pediram em todos os lugares de Santiago de Bougado. “O que veio dificultar um bocadinho, porque em termos monetários houve uma diferença significativa”, explicou João Nogueira.

Mesmo assim, assegura, o orçamento é “um bocadinho mais alto do que o ano passado”, pois os organizadores não queriam que “a festa tivesse um nível inferior”. Além disso, este ano têm à sua responsabilidade o Dia Vicarial da Catequese e optaram por colocar no programa a atuação do grupo “A Rapaziada”, na noite de quinta-feira, uma vez que o dia seguinte é feriado.

“Atendendo ao cartaz, temos uma boa expectativa de que vamos ter uma adesão bastante considerável. Esperamos que o dia 25 atraia bastante gente, porque é um dia dedicado às crianças e à saúde”, declararam os elementos, convidando “toda a comunidade para aparecer durante toda a semana”.

Feira da Saúde

À semelhança do ano passado, o recinto de Bairros vai ser palco de uma Feira da Saúde, que, este ano, conta com “cerca de 12 instituições envolvidas”, entre elas a “Liga Portuguesa Contra o Cancro, que vai fazer o rastreio ao cancro da pele”, a “unidade móvel do Instituto Português do Sangue, que vai levar a cabo uma colheita das 9 às 12 horas, e o “INEM com um masstraining de Suporte Básico de Vida”, entre outras iniciativas.

Segundo Simão Silva, elemento da comissão e responsável pela feira, esta tem como “objetivos gerais a promoção da saúde, prevenção da doença, educar para a saúde e para a aquisição de comportamentos de vida saudáveis”. A Feira de Saúde, a funcionar entre as 10 e as 16 horas, será constituída por “rastreios, desde a hipertensão, diabetes, visual, auditivo, cancro de pele e oral”, osteoporose, saúde oral, podologia, risco cardiovascular e bioimpedância.

João Nogueira avançou que se optou por fazer a Feira na mesma altura que o Dia Vicarial da Catequese, porque “muitas das crianças que vão estar presentes às vezes não têm acesso a este tipo de rastreios”.