Na 3ª edição das Jornadas Educativas, a Câmara Municipal da Trofa apresenta publicamente Projeto Educativo Municipal até 2017. A iniciativa, que decorre na quinta-feira, 5 de setembro, conta com duas sessões.

Por ser “um dos pilares fundamentais da estratégia educativa do concelho”, a Câmara Municipal da Trofa vai dedicar duas jornadas ao Projeto Educativo Municipal (PEM).

A primeira parte deste seminário, “inteiramente dedicado à transversalidade e globalidade da educação”, vai decorrer no auditório da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado, entre as 9 e as 18 horas. Em destaque vão estar as temáticas “Projeto Educativo Municipal versus Projeto Educativo Metropolitano”, “Projeto Educativo Municipal Trofa 13/17”, “Como e o que aprender em tempos de incerteza: novos problemas, velhos desafios” e “Avaliação do Projeto Educativo Municipal: Questionamentos e Estratégias”.

Pelas jornadas vão passar “especialistas nacionais” na área educativa, que deixarão o seu contributo para a construção do PEM, considerado como “instrumento privilegiado para a definição, o planeamento e o desenvolvimento de uma política educativa sustentada e identitária no concelho da Trofa”.

Os trabalhos retomam pelas 21 horas, mas no auditório da Associação Empresarial do Baixo Ave (AEBA), para debater o “Projeto Educativo Municipal da Trofa: a visão dos atores locais”, com a presença de José Manuel Fernandes, presidente do Conselho de Administração do Grupo Frezite, Luís Elias, em representação das associações de âmbito Cultural do concelho, Duarte Araújo, em representação da Federação das Associações de Pais da Trofa, Maria do Céu Brandão, em representação das instituições de solidariedade social do concelho, Paulino Macedo, diretor do Agrupamento de Escolas da Trofa, Renato Carneiro, diretor do Agrupamento de Escolas do Coronado e Covelas, e Ilídia Vieira, da Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa.

Nesta segunda sessão será apresentado e discutido o PEM da Trofa, numa ação que Joana Lima, presidente da autarquia, considera de “extrema importância” já que estas jornadas já se tornaram “um momento de reflexão, de partilha de experiências e de mobilização dos diferentes atores educativos imprescindível para debater e enriquecer o PEM, como um referencial multidimensional para a valorização das competências educativas e para o desenvolvimento da nossa comunidade”.

As jornadas dedicadas à educação são gratuitas e estão abertas à participação de todos os munícipes, em particular educadores, professores, diretores escolares, pessoal não-docente, técnicos municipais, estudantes, membros e representantes das diferentes associações e instituições concelhias e empresários.