quant
Fique ligado

Desporto

Jogo do Trofense com Marítimo B em risco de ser adiado

Publicado

em

O Governo Regional da Madeira decidiu suspender as competições regionais em todas as modalidades por 30 dias, uma decisão que se aplica também às equipas e atletas que participam em competições nacionais não profissionais, devido à pandemia de covid-19, impedindo as deslocações entre a ilha e o continente.

O Trofense recebe o Maritimo B no domingo com jogo marcado para as 11h da manha, mas face à decisão do governo regional o jogo poderá ter de ser adiado.

As federações de andebol, basquetebol, futebol, patinagem e voleibol querem dialogar com o Governo Regional da Madeira para evitar que as equipas do arquipélago não participem nas competições não-profissionais durante 30 dias, conforme pretende o presidente Miguel Albuquerque.

“Esta medida, caso seja implementada, afetará profundamente o desenrolar das competições e poderá ter grave impacto nas equipas da Madeira que participam nas provas nacionais em 2020/21 e nas épocas seguintes, além do efeito negativo no desenvolvimento dos atletas”, pode ler-se no comunicado conjunto das cinco federações.

Os organismos dizem-se surpreendidas com a intenção manifestada pelo presidente do Governo Regional da Madeira de suspender por 30 dias a participação das equipas do arquipélago nas competições não-profissionais e alertam que, no atual contexto de pandemia, com diversos jogos alterados praticamente todos os fins de semana, “não existem datas livres que permitam acolher a eventual alteração de jogos em que participem equipas da Madeira”.

Assim sendo, as federações em causa disponibilizam-se para procurar, em diálogo com o Governo Regional da Madeira, “encontrar a solução que melhor acautele a participação em segurança de todas as equipas e agentes desportivos, bem como o regular decorrer das competições nacionais”.

Continuar a ler...
Publicidade

Desporto

Trofense perdeu na deslocação ao Leixões

Publicado

em

Por

O Leixões foi quase sempre melhor do que o Trofense e fez o necessário para marcar até mais do que um golo durante a primeira parte, mas esteve mal na finalização.

O Trofense, que ficou reduzido a 10 jogadores aos 34 minutos, devido à expulsão do seu ‘capitão’, Vasco Rocha, sentiu problemas sempre que o opositor atacou pelos corredores e também deu pouco trabalho à defesa e ao guarda-redes contrário.

Kiki foi o grande motor do ataque leixonense até ao intervalo e logo aos dois minutos cruzou para João Oliveira, que, porém, chegou atrasado e atirou para fora.

A baliza do Trofense voltou a estar em perigo depois de outro cruzamento, este de João Amorim e do flanco direito, aos 10 minutos e com este lance terminou o ascendente inicial do Leixões.

Os visitantes conseguiram depois reagir e lançar alguns ataques promissores, mas por pouco tempo, e foi o Leixões que mais uma vez esteve perto de marcar em duas ocasiões consecutivas aos 15 minutos.

Okitokandjo arranjou tempo e espaço na área leixonense para rematar, assustar Beunardeau e ganhar um canto e, daí até o intervalo, só ‘deu’ Leixões, com Kiki em foco com as suas arrancadas pelo corredor esquerdo e cruzamentos para João Oliveira, que se destacou pela sua desinspiração.

O Trofense melhorou na segunda parte e o Leixões perdeu algum do fulgor exibido no primeiro tempo e tudo ficou mais complicado para a equipa de Matosinhos quando Paulo Alves viu o segundo amarelo aos 53 minutos e foi expulso também.

Publicidade

O treinador leixonense fez três substituições aos 70 minutos, substituiu Kiki, já esgotado pelas suas acelerações e grande mobilidade, por Agostinho aos 82 minutos e foi bem sucedido com as mexidas efetuadas, pois o golo teve a assinatura de duas unidades saídas do banco.

Miguel Ângelo iniciou a jogada do golo, Fabinho prosseguiu-a e Agostinho, natural da Guiné-Bissau, concluiu-a com um golpe de cabeça oportuno, materializando assim o grande investimento que o Leixões efetuara em busca do golo.

Texto Lusa

Continuar a ler...

Desporto

Trofense sem direção aguarda por setembro para criar comissão administrativa

Publicado

em

Por

Apenas 40 sócios marcaram presença na assembleia geral extraordinária do Clube Desportivo Trofense, na noite desta sexta feira, que tinha como ponto a eleição de uma comissão administrativa, depois de Franco Couto ter apresentado a demissão, por motivos pessoais.

A assembleia foi conduzida por José Duarte Gomes, presidente da Assembleia Geral do Clube, apoiado por 2 sócios, uma vez que os secretários da assembleia não compareceram na mesma.

A comissão vai ter como primeira batalha tratar do pagamento dos 4 meses em atraso do RERE (Regime extrajudicial de recuperação de empresas), que foi aprovado em tribunal e que o clube não estará a pagar, segundo informação vinculada na assembleia.

A assembleia terminou sem que alguém demonstra-se interesse em liderar uma comissão administrativa, havendo 5 sócios disponíveis para integrar uma, mas sem a liderar.

Ficou marcada para 2 de setembro nova assembleia com o objetivo de encontrar uma comissão.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);