Na Assembleia-geral, realizada na noite de quinta-feira, dia 18 de abril, os associados da APVC – Associação para a Protecção do Vale do Coronado elegeram Jaime Vieira como presidente da coletividade.

 “Vamos ‘arregaçar as mangas’ e passar a ter uns métodos totalmente diferentes, para conseguirmos, acima de tudo, ser conhecidos nesta região, não só na Trofa como nas regiões limítrofes. Sobretudo, vamos tentar espalhar o nosso nome e a nossa ação a toda a região Norte de Portugal, porque, acima de tudo, nós somos nortenhos.” Esta foi a mensagem que Jaime Vieira, eleito presidente da APVC – Associação para a Protecção do Vale do Coronado, proferiu para os associados na sua tomada de posse.

Natural de S. Romão do Coronado, Jaime Vieira, fitopatologista e paisagista, vai liderar a direção da APVC no triénio 2013/15, depois de ter sido eleito por unanimidade na Assembleia-Geral, que se realizou no dia 18 de abril. A lista, “única à votação”, é ainda composta por Joaquim Maia, presidente da Mesa da Assembleia-Geral, e Augusto de Jesus, presidente do Conselho Fiscal.

Durante o seu mandato, Jaime Vieira “vai tentar” desenvolver uma série de atividades, com o objetivo de dinamizar a associação, tornando-a “conhecida” na região Norte do País. “Temos três anos pela nossa frente, mas como eu sou um pouco ambicioso, eu quero que isto se concretize tudo em 2013”, referiu.

Ao longo deste ano, a APVC “vai tentar” fazer “uma ação formativa junto de escolas, de lares de terceira idade e centros de dia”, “palestras e workshops não apenas na sede da APVC, mas também nas autarquias, associações e empresas de todo o Norte”, bem como “cursos ligados ao mundo vegetal”. Um dos ideais é “lançar as pedras” para “a construção de uma Universidade Sénior no concelho da Trofa”. A associação, além de manter “as caminhadas e plantações de árvores”, vai “fazer jardinismo nos terrenos da sede, aberto a toda a gente”.

Como o Vale do Coronado é “uma região onde os romanos estiveram instalados”, Jaime Vieira quer organizar “visitas de estudo a locais diversos”. “Há uma série de antas por aí, algumas já quase desfeitas. O vice-presidente da nossa direção, que é um arqueólogo do concelho da Maia, vai estar presente nas nossas visitas de estudo locais”, afirmou.

A direção espera ainda “atrair a juventude”, através da organização de “desporto e campeonatos de lazer”, tentando ainda cativar os seniores, através de “jogos, como por exemplo, da malha e corridas de sacos”.

O próximo passo da direção será a constituição de várias “comissões”, sendo que, cada uma, está encarregue das diversas atividades. Haverá, por exemplo, uma para ações formativas, outra para workshops, palestras, feiras e exposições e outra para contactos oficiais com as autarquias.

Na sessão, que reuniu “mais de duas dezenas de associados”, decorreu ainda a inauguração da sede social, situada na antiga Escola Primária de Casal, em Mendões, em S. Mamede do Coronado, que “gentilmente foi cedida pela Junta de Freguesia”. Estes será o local destinado à realização das “reuniões, formações e diversas atividades da associação”. Uma cerimónia brindada com a “Cerveja APVC – Sabor a Coronado”, de “produção artesanal”, resultante do “workshop orientado pelo associado e Mestre Cervejeiro Pedro Soares, de S. Romão, aquando da participação da APVC na Exponor InHouse”, em fevereiro.