quant
Fique ligado

jonati

Noticias

Irmãos gémeos fugitivos do TIC do Porto condenados a 12 e 15 anos de prisão

Publicado

em

Um dos irmãos gémeos envolvidos em 2018 na fuga do Tribunal de Instrução Criminal (TIC) do Porto, após a prática de roubos violentos a idosos, foi hoje condenado a 15 anos de prisão e o outro a 12 anos.

O Ministério Público (MP) tinha pedido para ambos penas de 25 anos de prisão, o máximo permitido em Portugal.

Um terceiro fugitivo do TIC, sobrinho dos gémeos, foi condenado a um ano de prisão efetiva.

No âmbito deste mesmo processo, foram condenadas mais cinco pessoas a penas entre um ano de prisão, suspensa, e seis anos e meio: duas mulheres que ajudaram às fugas do TIC, bem como os envolvidos em vários assaltos e na recetação dos artigos roubados.

Está em causa a prática de crimes como evasão e tirada de presos, roubo qualificado, recetação e burla informática.

Ao ler o acórdão, a presidente do coletivo de juízes, Isabel Teixeira, considerou que os arguidos “espalharam o terror” e cometeram crimes “muito graves”.

Tendo em conta as limitações de espaço e os riscos associados ao novo coronavírus, o acórdão, da responsabilidade do Juízo Central Criminal do Porto (Tribunal de São João Novo) foi proferido no auditório do Fórum TrofaXXI , o mesmo espaço onde decorreu a produção de prova.

Publicidade

No início do julgamento, em setembro, os três fugitivos do TIC e quatro outros arguidos recusaram prestar declarações ao coletivo de juízes. Falou apenas um acusado pela recetação de artigos furtados, um homem de 76 anos, que assumiu a culpa e pediu desculpa.

Os dois principais arguidos – que já cumprem prisão à ordem de outros processos – cometeram, nas contas do MP, 30 crimes de roubo, um dos quais na forma tentada, 26 de furto qualificado, seis na forma tentada, três de burla informática, um de evasão e um de detenção de arma proibida.

Os crimes ocorreram entre março e outubro de 2018, essencialmente durante a noite, e os arguidos escolhiam casas unifamiliares cujos donos tivessem idade avançada e, através de arrombamento de portas ou janelas, levavam bens em ouro e prata, relógios e dinheiro.

Cobrindo os rostos com as mãos, para dificultar a sua identificação, os suspeitos exerciam violência física ou psíquica sobre as vítimas em mais de metade dessas situações.

A Procuradoria regional do Porto indicou que os crimes de evasão e tirada de presos estão relacionados com a fuga do TIC dos irmãos gémeos e do seu sobrinho enquanto aguardavam o transporte para a cadeia, depois de lhe ter sido aplicada prisão preventiva.

“Nessa ocasião, beneficiaram da conduta de uma das arguidas que lhes proporcionou a chave, depois de a ter retirado sub-repticiamente do local onde se encontrava, e mais tarde da conduta da última arguida que, para garantir o sucesso da fuga, lhes providenciou por um local onde se puderam esconder”, descreveu a Procuradoria.

Os fugitivos acabaram por ser detidos no dia seguinte no concelho de Gondomar.

Publicidade
Continuar a ler...

Edição 778

Os encargos com o crédito habitação não são apenas juros

Publicado

em

Por

Quem comprou casa com recurso a financiamento ou se prepara para comprar, seguramente reparou que existem vários produtos associados. Um desses produtos é o seguro de vida associado ao crédito habitação, que tem um peso muito significativo nos encargos mensais ao longo de todo o financiamento, pelo que este é o momento certo para analisar quanto paga e as respetivas coberturas.

Apesar das instituições financeiras procurarem convencer os clientes a efetuar no banco o seguro de vida, saiba que para sua proteção foi publicado o Decreto-lei n.º 222/2009, que lhe dá a possibilidade de contratar o seguro de vida junto de uma seguradora da sua preferência ou de o substituir por um novo contrato de seguro que lhe ofereça melhores condições em termos de coberturas e preço. Saiba também, que se contratou o seguro de vida no banco, muito provavelmente está a pagar gato por lebre e possivelmente tem um mau seguro.
Existe ainda algum desconhecimento por parte dos portugueses sobre o facto de ser possível fazer este seguro fora da entidade bancária sem que tenham qualquer agravamento na prestação do crédito habitação. Este fantasma tem levado as famílias a não procurarem aconselhamento para reduzir o preço do seu Seguro de Vida associado ao Crédito Habitação, pois ficam com a ideia que com essa mudança o banco aumentará o “spread”.
Procurar uma empresa especializada é a melhor decisão! A DS SEGUROS TROFA é uma referência na área, tendo vindo a ajudar milhares de famílias a melhorar as coberturas do seguro de vida associado ao crédito habitação e a reduzir para menos de metade o valor que pagam mensalmente, sem que com essa alteração tenham agravamento na prestação do crédito habitação.
Nos casos em que possa existir uma alteração do “spread”, não haverá um impacto significativo na prestação, quando comparado com a redução do valor mensal do seguro de vida, ou seja, a poupança continuará a compensar.
A título de exemplo, um casal de 45 anos cujo valor em dívida do crédito habitação sejam 150.000€, estará a pagar cerca de 105€ mensais pelo seguro de vida contratado junto do banco e muito possivelmente tem apenas as coberturas de morte e invalidez absoluta e definitiva (IAD). Se o mesmo casal optar por efetuar fora do banco o seguro de vida, o valor mensal serão 50€ com as coberturas de morte e invalidez total e permanente (ITP), o que representaria uma poupança anual de pelo menos 600€ e com muito melhores garantias!
A grande maioria dos seguros de vida contratados junto dos bancos, apenas garantem Morte e Invalidez Absoluta e Definitiva (IAD), pelo que é muito importante conhecer as diferenças entre IAD e ITP. Assim, considera-se Invalidez Absoluta e Definitiva (IAD) uma invalidez por acidente ou doença, sem possibilidade de recuperação, que incapacite a pessoa segura para o exercício de qualquer atividade remunerada, necessitando do apoio de terceiros para suprir as suas necessidades básicas. Normalmente associamos a Invalidez Absoluta e Definitiva ao estado vegetativo da pessoa segura.
Já a cobertura de Invalidez Total e Permanente (ITP) é muito mais abrangente pois pode ser acionada a partir do momento em que a pessoa tenha uma incapacidade por acidente ou doença, superior a 60%. Convém referir que nem todas as seguradoras abrangem a ITP a partir de 60%, mas é uma opção cada vez mais comum nas seguradoras de vida.
Assim, uma das formas de aliviar os seus encargos fixos e de ter mais rendimento disponível para enfrentar as dificuldades associadas à subida das taxas de juro, pode passar pela negociação do Seguro de Vida associado ao Crédito Habitação.
O aconselhamento da DS SEGUROS TROFA é totalmente gratuito e fará toda a diferença na hora de poupar.

Continuar a ler...

Trofa

Bênção das Grávidas no dia 8

Publicado

em

Por

A 8 de dezembro, há bênção das grávidas nas paróquias de S. Martinho de Bougado e S. Romão do Coronado.

Segundo os boletins paroquiais, a primeira convida grávidas e seus companheiros a participar na celebração, que terá lugar às 11h00, na Igreja Nova, integrada na celebração da eucaristia dominical. Podem inscrever-se na secretaria paroquial ou então basta aparecerem no dia um pouco antes, pois haverá lugares reservados na Igreja.


Em S. Romão, a bênção acontece às 10h00, na eucaristia realizada na Igreja Paroquial. As grávidas interessadas devem inscrever-se junto do pároco, ou dos elementos da Pastoral Familiar ou do sacristão.
Antigamente, o Dia da Mãe era celebrado a 8 de dezembro, dia da Imaculada Conceição.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);