Devido às restrições provocadas pela pandemia de Covid-19, o Navio-Escola Sagres viu-se obrigado a interromper a viagem ao mundo, que iniciou a 5 de janeiro, tendo a bordo dois jovens de S. Romão do Coronado.

Eduardo e Francisco Campos, irmãos gémeos, alistaram-se na Marinha e fazem parte da tripulação de 142 elementos que, a bordo do navio-escola, iniciaram a viagem, em Lisboa, para reeditar a circum-navegação de Fernão de Magalhaes, há 500 anos.

A viagem previa uma duração de 371 dias, passando por 22 portos de 19 países e visita a 12 cidades da rede mundial de cidades magalhânicas.

Em julho, o navio faria escala em Tóquio para entregar a bandeira nacional a ser usada pela comitiva portuguesa nos Jogos Olimpicos.

Eduardo e Francisco Campos, de 21 anos, são manobras, ou seja, têm como missão subir ao mastro para lançar as velas.

O regresso a Portugal está previsto para maio.

Direitos reservados

“Face à situação de pandemia da Covid-19, que afeta mais de 180 países em todo o mundo, o Navio-Escola Sagres, que ruma à Cidade do Cabo, na África do Sul, onde se prevê que chegue esta quarta-feira, dia 25 de março, recebeu ordens para regressar a Lisboa. Esta decisão foi tomada na sequência das medidas de segurança que os diferentes países estão a adotar para protegerem os seus portos, Portugal incluído, limitando a atracação e desembarque de tripulações e passageiros de navios, inviabilizando o pleno cumprimento da missão. Por haver restrições de desembarque em muitos portos e cidades, e por ser desaconselhável a realização de visitas ao navio, o Ministério da Defesa Nacional entendeu que não estavam reunidas as condições para prosseguir esta missão de promover o nome de Portugal pelo mundo e de celebrar, junto das populações e da diáspora, o feito histórico da primeira viagem de circumnavegação, iniciada há 500 anos por Fernão de Magalhães. Acresce que a continuidade desta expedição poderia potenciar um maior risco de contágio entre os 142 elementos da guarnição, que se encontram bem de saúde. A possibilidade de se retomar a viagem de circum-navegação, eventualmente noutros moldes e com uma rota distinta, será equacionada quando for oportuno, e nomeadamente depois de extinta a atual pandemia. O regresso a Lisboa do NRP Sagres está agora previsto para meados de maio”, pode ler-se no comunicado do Ministério da Defesa Nacional.