Incêndio no Meco da Guerra, no Monte de Paradela, alastrou-se até Covelas e esteve junto da A3. Consumiu cerca de 50 hectares de floresta. O flagelo dos incêndios já dá muito que fazer aos bombeiros e ainda agora a primavera deu o ar da sua graça.

Em pleno mês de março, as chamas já consumiram vários hectares de floresta no concelho da Trofa e o incêndio que deflagrou na segunda-feira, 26 de março, já se candidata a um dos mais destruidores de 2012.

As chamas começaram a lavrar às 10.10 horas junto ao Meco da Guerra, no monte de Paradela, em S. Martinho de Bougado e foi dominado às 15.20 horas. No entanto, devido à “mudança de ventos”, reacendeu quarenta minutos depois, deixando um rasto de destruição por aquela área florestal.

O incêndio chegou até junto da autoestrada número 3 (A3), já na freguesia de Covelas, consumindo floresta dos dois lados daquela via rodoviária. No combate às chamas estiveram 84 homens dos Bombeiros Voluntários da Trofa e de outras corporações, apoiados por 28 viaturas, e no terreno estiveram dez entidades.

De acordo com Joana Lima, presidente da Câmara, que detém o pelouro da Proteção Civil Municipal da Trofa, “é uma surpresa ter um incêndio desta natureza logo em março”. O “terreno acidentado” e a “mata seca, devido à ausência de chuva”, constituíram as principais dificuldades que os operacionais encontraram para combater o fogo. O incêndio foi extinto às 21.30 horas, mas os bombeiros mantiveram-se em vigilância até às três horas da madrugada de terça-feira.

O país está na fase Alfa, que não é a mais problemática a nível de incêndios florestais mas, pelos fogos que têm fustigado a área florestal, antevê-se um verão difícil para os soldados da paz. Apesar de ter estado perto da A3, o trânsito não teve que ser cortado. Arderam cerca de 50 hectares de floresta. Esta quarta-feira, um novo incêndio deflagrou no mesmo local, cerca das 20.35 horas, para onde se deslocaram uma viatura dos Bombeiros da Trofa e duas da Afocelca.

{fcomment}