“Posso dizer que vivo no melhor lugar da Trofa”. O sentimento do presidente da associação Barca Social, Miguel Veloso, parece ser consonante com os dos moradores que, no domingo, se juntaram para festejar a inauguração de 16 elevadores na Urbanização da Barca, em S. Martinho de Bougado.

Carla Festa, moradora no 4º andar num dos empreendimentos “há 18 anos”, destaca a “mais-valia” de um equipamento que a população “já esperava há muito tempo”. “Agora temos o gás canalizado, mas já tivemos que levar botijas para o quarto andar. O meu filho já partiu uma perna e o meu marido um pé e tiveram que subir e descer as escadas de moletas. Acho que os elevadores valorizam muito a zona, que parecia estar um pouco esquecida”, afirmou.

Já Manuel Maia recorda os tempos em que, quando recebia a visita da mãe, já idosa, a tinha de levar “ao colo”, com a ajuda do filho mais velho, para o 4º andar.

A colocação dos elevadores era um anseio dos moradores, que remontava há mais de duas décadas, ainda em tempos de governação tirsense, quando a urbanização foi construída. Na altura, só ficaram “as caixas” para lá serem colocados e, a partir daí, começou um longo processo de reivindicação que só voltou a estar em cima da mesa “em 2008”, quando, já com Trofa como concelho, o presidente de então, Bernardino Vasconcelos, revelou que “havia uma luz ao fundo do túnel”, contou Miguel Veloso.

Leia a reportagem completa na edição do jornal O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.